• abril 2017
    S T Q Q S S D
    « set    
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
  • Categoria

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Twitter Blog Aécio Neves

Aécio e Pimenta unidos pela vitória em Minas

Aécio Neves prevê arrancada ao segundo turno na corrida presidencial e reviravolta de Pimenta da Veiga para o Governo de Minas.

Eleições 2014

Fonte: O Tempo

Aécio volta a Minas e promete fazer “barba, cabelo e bigode”

Presidenciável tucano pretende vincular mais sua imagem à de Pimenta da Veiga para virar o quadro

ISABELLA LACERDA

O crescimento de oito pontos percentuais na intenção de voto de Pimenta da Veiga para o governo de Minas, como mostrou nesta quinta levantamento divulgado pelo Datafolha, e a vinda do senador e presidenciável Aécio Neves a Belo Horizonte para reforçar a campanha do PSDB no Estado reverteram o clima de crise até então instalado. Aécio previu a vitória de Pimenta, “com barba, cabelo, bigode”.

Depois das trocas internas no comando da campanha e das demissões causadas por problemas financeiros, a ordem dada nesta quinta por Aécio é que seja colocada em prática uma nova campanha. Serão alteradas as estratégias publicitárias e ainda será feita cobrança por mais empenho de prefeitos e deputados, tudo para virar o quadro favorável ao candidato Fernando Pimentel (PT).

Nesta quinta Aécio fez uma verdadeira peregrinação na capital na tentativa de acertar os ponteiros. O primeiro passo foi se reunir com a irmã e coordenadora de comunicação, Andrea Neves, e também com Pimenta e o novo líder da equipe, Danilo de Castro, para estabelecer mudanças na identidade visual da campanha, como adiantou nesta quinta O TEMPO.

Em seguida, o presidenciável esteve em dois encontros com prefeitos e parlamentares. No primeiro ato, pediu aos gestores que levem seu nome e o de Pimenta para o interior. A falta de contato entre a coordenação da campanha e os prefeitos foi um dos motivos apontados por aliados da crise interna.

O PSDB também distribuiu kits com materiais de publicidade para que a eleição seja levada aos municípios fora da região metropolitana. “Pretendemos mobilizar forças e botar todo mundo para trabalhar”, disse o senador, admitindo uma presença mais constante no Estado neste mês.

Aécio também almoçou em reservado com deputados da base. Ele aproveitou para exigir apoio a Pimenta, mas também ouviu reclamações. “Espero que Minas mostre que não temos como vocação ser depósito de petista desempregado. Minas não merece ter o PT governando seus destinos”, afirmou, dando a tônica dos pleitos dos aliados: bater mais no PT. “Pedimos a reformulação no programa de televisão, achamos que é necessário aumentar o tom da campanha, com mais críticas ao Pimentel”, confidenciou um tucano após o encontro.

Aécio deixou claro ao longo do dia que “é hora de dar uma acelerada nessa reta final” e que é possível virar o quadro. Ele decidiu que é preciso vincular o máximo possível seu nome ao dePimenta. “Talvez devesse vincular um pouco as campanhas. Pimenta tem que ser identificado com o trabalho feito em Minas nos últimos 12 anos”, avaliou.

Peregrinação

Encontros. Em sua vinda a Belo Horizonte, nesta quinta, Aécio Neves fez uma verdadeira peregrinação e esteve em diversas reuniões com aliados.

Estratégia. Pela manhã, ele se reuniu com a irmã e responsável pela parte de comunicação das campanhas, Andrea Neves, e integrantes da campanha de Pimenta da Veiga, entre eles Danilo de Castro, para definir novos rumos da campanha.

Aliados. Depois, Aécio se encontrou com prefeitos e lideranças do Estado. Em seguida, almoçou com deputados aliados e pediu que participem mais ativamente da campanha.

Eleições 2014: Aécio divulga vídeo com a familiares

Aécio presidente: mãe, irmã, filha, mulher, primos e sobrinhos destacaram características do candidato à presidência da República.

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Campanha de Aécio divulga fala de familiares para popularizar sua imagem

PSDB divulgou vídeo nas redes sociais com depoimentos de parentes sobre ele

Com o desafio de se tornar conhecido no país, o candidato do PSDB à Presidência da RepúblicaAécio Neves, iniciou uma ofensiva virtual. Nesta terça-feira, um vídeo com depoimentos de familiares contando um pouco sobre a vida pessoal dele foi disparado nos perfis que o tucano mantém nas redes sociais. Em tom mais íntimo, mãe, irmã, filha, mulher, primos e sobrinhos destacaram características do candidato.

— Aécio tem muito respeito pelas pessoas — disse a mãe, Inês Maria.

— Ele sorri com os olhos e gosta do simples — afirmou a mulher, Letícia Weber.

— A gente gosta de acreditar que tem o controle absoluto sobre a nossa própria vida. Isso não é verdade. Mas algumas pessoas têm menos controle sobre o próprio destino do que as outras — completou a irmã, Andréa Neves, mais filosófica.

MÚSICOS GRAVAM APOIO

À noite, o site oficial da campanha de Aécio entrou no ar, uma semana depois do lançamento das páginas de seus principais adversários. A página aborda mais o perfil político e de gestor do candidato.

Conheça o novo site: Aécio Neves 2014 – www.aecioneves.com.br

Famosos também foram escalados para ajudar nessa aproximação do tucano com o eleitor. O cantor Zezé di Camargo e o sambista mineiro Domingos do Cavaco gravaram depoimentos declarando apoio.

O marqueteiro de AécioPaulo Vasconcelos, tem dito que o grande objetivo nesta reta inicial de campanha é fazer o senador e ex-governador mineiro conhecido fora do eixo Minas Gerais-Rio de Janeiro-São Paulo.

Além da ofensiva virtual, as viagens pelo país são consideradas fundamentais. Amanhã, Aécio vai a Florianópolis. Será a primeira viagem dele fora do Sudeste, desde o início da campanha. A ida ao Nordeste fica para agosto, quando estará pronto o plano tucano para a região.

Andrea Neves divulga balanço de atividades do Servas

Ex-presidente do Servas prestou conta das atividades realizadas durante o período de 11 anos que ficou à frente da entidade.

Ações sociais

Fonte: Em.com.br 

Servas divulga balanço das atividades realizadas sob a presidência de Andrea Neves

Um balanço dos mais de 10 anos em que Andrea esteve à frente do Servas, com destaque para iniciativas voltadas ao atendimento de crianças, jovens e idosos em MG

Mais de uma década de ação social, trabalhos voltados para a infância, jovens e idosos, valorização da cultura, reciclagem de lixo e apoio a diversas entidades, entre outras frentes de solidariedade. O Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), complemento do governo de Minas em políticas públicas, divulga um balanço das atividades realizadas desde 2003 sob a presidência de Andrea Neves da Cunha, que transferiu o posto para a mulher do vice-governador Alberto Pinto CoelhoCélia Pinto Coelho. Satisfeita com os resultados, Andrea afirma que foi um período “muito intenso e de aprendizagem”, bem como favorável à criação de programas para transformar a vida de milhares de famílias.

Logo no início, explicou a ex-presidente do Servas, a providência foi mudar o foco, deixando de lado o atendimento individual para desenvolver projetos e programas. “Em 11 anos, apoiamos entidades sociais como a Apae e instituições de longa permanência para idosos. Minas tem uma rede de entidades que trabalha de forma muito séria e, dessa forma, atuamos em parceria”, disse Andrea, lembrando que foram criados programas na sua gestão como o Digna Idade, dirigido aos idosos; Valores de Minas, para fortalecer a autoestima dos jovens; Centros Solidários de Educação Infantil, brinquedotecas hospitalar e móvel, VitaVida e outros.

Andrea demonstra um carinho especial pelo Digna Idade, que apoiou 479 instituições de longa permanência para idosos em 422 municípios, fazendo pequenas reformas, adquirindo equipamentos e capacitando 2.413 gestores e cuidadores, com benefício indireto para mais de 18 mil pessoas. “O Servas tem uma equipe de profissionais diferenciada e tenho certeza de que Célia Pinto Coelho vai ampliar os programas”, acrescentou.

Em janeiro de 2003, o Servas, Coordenadoria de Defesa Civil (Cedec/MG) e poder público estadual deram a largada no Movimento Minas Solidária, que arrecadou mais de 2,1 milhões de donativos para os flagelados das chuvas e construiu 953 moradias para famílias desabrigadas. Em 2007, 76 famílias vítimas de terremoto em Itacarambi, na Região Norte, receberam casas mobiliadas.

No período de 11 anos, o Programa de Apoio a Entidades contemplou 3.451 instituições com doação de equipamentos. Aos conselhos tutelares, por exemplo, foram destinados 141 veículos. Voltado para a formação cidadã dos jovens, o Valores de Minas recebeu cerca de 5 mil alunos para cursos e vivências artísticas e culturais em teatro, circo, música, dança e artes visuais e hoje se soma ao Plug Minas, projeto pioneiro voltado para a juventude.

Conforme levantamento do Servas há, atualmente, 19 municípios mineiros com unidades do Centro Solidário de Educação Infantil, construções com área de 700 metros quadrados totalmente equipadas e que se somam às brinquedotecas móveis (224 entregues a hospitais públicos, centros de educação infantil e unidades da Apae). Foram construídas cinco brinquedotecas hospitalares na Santa Casa de Belo Horizonte (duas em cada ala pediátrica), no Hospital Infantil João Paulo IIHospital da Baleia e no Centro Psíquico de Adolescência e Infância (Cepai).

NOVAS VOZES Com o Vozes do Morro, o trabalho de dezenas de artistas de vilas e aglomerados da Região Metropolitana de Belo Horizonte pôde ser divulgado, o que colaborou para a criação de novas referências de valores em muitas comunidades. No setor de nutrição, uma nova tecnologia de desidratação de alimentos, desenvolvida peloPrograma VitaVida, ampliou o trabalho feito na primeira fábrica para mais três unidades, possibilitando a distribuição de 17 milhões de refeições gratuitas para cerca de 750 entidades no estado.

Criado em articulação com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, o Centro Mineiro de Referência em Resíduos, contou Andrea, desenvolve um projeto pioneiro com cooperativas de catadores de material reciclável em todo o estado – beneficia 77 organizações e cerca de 1,5 mil catadores. Atua em parceria com diversas prefeituras em todas as regiões de Minas, com implantação da coleta seletiva e inclusão socioprodutiva dos catadores.

Nesses 11 anos, destacou Andrea, o Servas criou e desenvolveu campanhas de sensibilização da sociedade, entre elas a direcionada a famílias que têm parentes desaparecidos e vivem um drama; a Proteja Nossas Crianças, que buscou mobilizar esforços em defesa dos direitos de meninos e meninas; e a de Valorização do Idoso.

Andrea Neves integrará equipe de comunicação

2014: Aécio disse que a irmã “vai assessorar e ajudar a trazer ideias”.

Eleições 2014: Aécio presidente

Fonte: Folha de S.Paulo

Irmã de Aécio deixa cargo para entrar na campanha

Andrea fará parte da equipe de comunicação 

Irmã do senador Aécio Neves (PSDB-MG), a jornalista Andrea Neves antecipou sua saída da presidência do Servas (Serviço Voluntário de Assistência Social), cargo que ocupava desde 2003, para entrar na campanha do irmão.

O tucano afirmou ontem que Andrea já atua em campanhas há mais de 20 anos e “vai assessorar, ajudar a trazer ideias”.

A jornalista integrará a equipe de comunicação da campanha, mas não deverá ser a coordenadora, segundo a assessoria do senador.

“Nós achamos que há um esgotamento desse modelo centrado num único marqueteiro”, disse o deputado Marcus Pestana, presidente do PSDB de Minas. “Andrea vai ter uma participação essencial nesse sentido de uma coordenação colegiada.”

Andrea Neves deve integrar equipe de comunicação de Aécio

2014: em todas as eleições disputadas por Aécio desde 2003, Andrea se desicompatibilizou do cargo que ocupava para integrar a equipe.

Eleições 2014

Fonte: O Estado de S.Paulo 

Irmã de Aécio terá cargo de chefia na campanha

Andrea Neves é chamada para coordenar área de comunicação e organizar convenção que vai oficializar candidatura do senador ao Palácio do Planalto

Em todas eleições disputadas por Aécio desde 2003, Andrea se desicompatibilizou do cargo que ocupava para integrar a equipe do irmão. No governo, tinha atribuições que iam além do cargo na assistência social. Coordenou o Núcleo Gestor de Comunicação Social. Também cuidava da imagem do irmão na mídia.

Sua saída, no entanto, foi antecipada para esta quarta-feira, 8, devido ao estado de saúde de Angela Neves, irmã mais nova da família, que sofreu em outubro uma isquemia cerebral e está em estado grave em um hospital no Rio.

“A entrada dela na campanha é natural pelo currículo na área e pela afinidade que tem com o Aécio“, diz o deputado Marcus Pestanapresidente do PSDB mineiro e um dos mais próximos aliados do senador. Ele explica, ainda, que Andrea terá um papel central na campanha, mas a coordenação geral será feita por um político de “envergadura nacional”, provavelmente um senador ou ex-governador.

Os nomes mais lembrados por “aecistas”são o senador paulista Aloysio Nunes Ferreira, que também pode ser candidato a vice-presidente, ou Cássio Cunha Lima, ex-governador da Paraíba. Pestana também é cotado para a vaga.

Ao deixar o governo, Andrea acabou também antecipando o calendário político mineiro. Quem assumiu o comando da Servas foi Célia Pinto Coelho, mulher do vice-governador Alberto Pinto Coelho (PP), que assumirá o governo em junho.

Com isso, o atual governador, Antonio Anastasia (PSDB), disputará o Senado, e o ex-ministro Pimenta da Veiga deverá concorrer ao governo do Estado.

Marqueteiro. Uma das primeiras tarefas de Andrea Neves na campanha será definir o nome do marqueteiro do tucano. Em dezembro, Aécio rompeu com o publicitário Renato Pereira, que produziu todas as propagandas do PSDB em 2013. O motivo do término da parceria foram as divergências de estratégia que surgiram entre os dois.

Com isso, o nome mais cotado para assumir o núcleo de marketing da campanha passou a ser o do publicitário mineiro Paulo Vasconcelos, que coordenou diversas campanhas do PSDB em Minas Gerais e conta com a inteira confiança do senador mineiro.

Antes de Vasconcelos, o senador Aécio Neves chegou a sondar o publicitário Nizan Guanaes. A ideia, no entanto, não teria avançado, segundo aliados do senador, devido ao estilo centralizador do marqueteiro, que fez as campanhas de José Serra em 2002 e de Fernando Henrique Cardoso em 1998.

O formato da comunicação da campanha tucana em 2014 será inédito. Em vez de deixar um publicitário tomar todas as decisões solitariamente, será instituído um conselho de comunicação, que deve ser comandado por Andrea Neves. De acordo com dirigentes tucanos, o modelo verticalizado e personalizado da condução do marketing eleitoral está esgotado e não é o mais saudável.

Gestão social: Andrea Neves é homenageada por artistas

Andrea Neves: gestão social – presidente do Servas recebe homenagem dos artistas do programa Vozes do Morro que completou cinco anos.

Andrea Neves: gestão social

Fonte: Site do Servas

“Vozes do Morro” faz show em noite especial

Andrea Neves é homenageada pelos artistasEm noite especial, cantores e cantores solo dos mais diversos gêneros musicais fizeram show no Teatro Alterosa, em encontro que reuniu os selecionados da última edição do Programa Vozes do Morro.

Inédito no país, o Programa é uma iniciativa do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e apoio do Governo de Minas, em parceria com o Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão de Minas Gerais (Sert-MG),  que  abre oportunidades para divulgação e reconhecimento da criação musical de moradores de vilas, favelas e aglomerados de Belo Horizonte e região metropolitana.

Homenageada pelos artistas do Vozes do Morro na abertura do show, a presidente do ServasAndrea Neves desejou “a cada um dos artistas uma vida de conquistas e de muitas alegrias” Ela registrou ainda seu agradecimento “àqueles que somaram forças e sonhos para que o Vozes do Morro chegasse até aqui”.

“Os governadores Aécio Neves e Antonio Anastasia acreditaram que seria possível. Nós que éramos tão poucos, nos descobrimos muitos e essa é a maravilha da alquimia e da solidariedade, que mistura comprometimento e intenções e faz nascer a diferença”, destacou a presidente do Servas.

Vozes do Morro

O programa foi lançado em março de 2008 e registra um total de 47 artistas que tiveram suas carreiras impulsionadas pelo Programa. O Vozes do Morro divulga a produção dos selecionados em emissoras de rádio e TV do Estado, por meio de clipes e spots, valorizando a diversidade de linguagens musicais, além de mobilizar comunidades em torno do talento de seus moradores.

O Vozes oferece ainda cursos de formação gerencial, em parceria com o Sebrae-MG, preparando os artistas para a administração de suas carreiras. O curso “O nosso negócio é música” é um curso inédito, desenvolvido especialmente para o programa e oferecido aos selecionados, com aulas teóricas e práticas. O curso oferece noções de mercado, planejamento estratégico, que inclui estruturação das bandas e marketing; finanças, com fluxo de caixa e formação de preço; e venda e mercado, além de técnicas de negociação.

O show contou com a participação especial do sambista Domingos do Cavaco, do Morro das Pedras, Belo Horizonte. Artista já conhecido, o cantor e compositor foi convidado para a divulgação do programa em seu lançamento, em 2008.

Durante a abertura do show, os meios de comunicação que apoiaram o programa, veiculando as músicas dos artistas, foram homenageados com uma placa de agradecimento. De samba a rap e sertanejo, dos mais diversos gêneros musicais, se apresentaram no Teatro Alterosa: ADS (Aliados do Senhor), Douglas e Leon, Fabinho do Terreiro, Lúcio Monteiro, Marcello Matos, Nascidos do Samba, Raça DMCs, Ralfe Rodrigues, Rannah, Sem Meia Verdade, Tambor do Matição, Vanderli e Wardel.

Andrea Neves: conheça o perfil da presidente do Servas

Andrea Neves: jornalista e presidente do Servas, irmã de Aécio e neta de Tancredo Neves, mostra que não há uma só, mas várias Andreas.

Andrea Neves: biografia

Fonte: Revista Season, abril de 2012

Há quase um ano a Revista Season publicou uma matéria especial com o perfil de Andrea Nevespresidente do Servas, e irmã de Aécio Neves. A entrevista foi publicada três meses depois ao lançamento do Blog Andrea Neves que mostrou um pouco mais do perfil da jornalista que se transforma em várias Andreas. À frente do Servasdesde o primeiro mandato de Aécio Neves em 2003, a ONG se transformou em referência nacional em projetos de responsabilidade social. Destaque para o Plug Minas que mantém projetos que ajudam a transformar Minas e que já recebeu as visitas de XuxaGabriel, o pensadorViviane Senna e Danielle Miterrand entre outros.

As várias Andreas

 Andrea Neves: conheça o perfil da presidente do Servas

Andrea Neves, presidente do Servas.

Como transformar memória em travesseiro suave, em agulha fina e precisa? Como refazer caminhos, observar um tijolo e outro e mais outro, olhar a construção, parar, pensar, expor detalhes da obra que poucos tiveram acesso ao longo dos anos? Que detalhes são esses, tão à mostra? Perguntas a serem feitas por quem entra no blog de Andrea Neves, lançado no início deste ano de 2012. Para quem só escuta falar de Andrea Neves, mas nunca teve oportunidade de conhecê-la um pouco mais de perto, o blog é uma surpresa agradável. Tempestade e suavidade rimam com essa mulher, que se define como tímida e fechada e é, ao mesmo tempo, tão mitificada. Aqui, a jornalista e presidente do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), irmã de Aécio e neta de Tancredo Neves, mostra que não há uma só, mas várias Andreas. Todas muito intensas e todas muito diferentes entre si, como ela mesma diz: “Em cada época da vida, a gente pode ser uma e pode ser várias em uma vida só.”

Muitas pessoas que não te conhecem pessoalmente costumam ter uma ideia formada de que você teria um perfil frio e calculista ou mesmo da Andrea que tem o poder. Essa Andrea é real? Como você lida com isso?

Andrea Neves – Eu, por temperamento, sempre fui uma pessoa muito fechada. Como sou mais tímida, acho que tem gente que confunde um pouco esse distanciamento. O fato de eu não frequentar muito os lugares, geralmente é interpretado de forma diferente do que realmente é a motivação de eu ser assim. Aqui no Servas, depois de anos, recebi dois comentários muito engraçados. A primeira pessoa disse o seguinte: “Nossa! Você é tão normal!” (risos). E outra me disse assim: “Eu queria te falar uma coisa: você é tão simplesinha” (mais risos). Cria-se um mito em torno da gente, da mulher que tem espaço, que decide. Às vezes eu leio uma reportagem dizendo “Andreaque tem o poder” e isso é tão distante da minha realidade pessoal. E eu acho, muitas vezes, que as pessoas tem essa imagem talvez por uma falha minha mesmo. De não ter tido o cuidado de me apresentar mais, de conviver mais com um número maior de pessoas.

E você já imaginou que o seu blog estaria cumprindo essa lacuna de alguma forma?

Andrea Neves – Não foi nisso que eu pensei inicialmente, mas vou ficar feliz se isso acontecer, se estiver acontecendo. Se alguém tiver curiosidade sobre o meu trabalho, sobre me ver como eu sou, vai ser mais uma razão para eu ficar contente com o blog.

E quando foi que você resolveu que estava na hora de ter um blog para chamar de seu?

Andrea Neves – Eu sempre escutei, durante anos, as pessoas falando, “você tem que fazer um blog”. Mas quando elas falavam isso, geralmente imaginavam que eu deveria fazer ou um blog sobre política, ou um blog sobre o terceiro setor, sobre trabalho social, sobre o Servas. Então, quando eu resolvi fazer, expliquei para os amigos que não seria nem sobre política, nem pra ficar me remetendo exclusivamente ao Servas, sobre os projetos do Servas. E aí ninguém entendeu nada. Ficou aquela perplexidade… “então, sobre o que você vai falar?”.

Bom, agora, qualquer pessoa, quando entra no seu blog, tem a chance de conhecer um lado seu, que se ela não for do seu convívio, jamais teria essa chance.

Andrea Neves – Também não pensei nisso. O que comecei a sentir é que faltava um espaço que pudesse ser o meu espaço de organização interna, de afetos, de memórias, de experiências, de reencontrar com pessoas que não tenho mais contato. Acaba que, com o meu trabalho, fico refém de conviver com pessoas que dividem comigo o mesmo espaço profissional. Eu acho que o mundo, especialmente pra gente que é mulher, ganhou uma velocidade tão grande, a gente responde a tantas demandas o dia inteiro, tem que olhar o café que acabou em casa, a escola da filha, o trabalho… A gente passa o tempo todo quase que reagindo à demanda dos outros.

Seu blog funciona então como um diário dos tempos modernos?

Andrea Neves – Acho que é isso mesmo. Eu sou uma pessoa que chegou atrasada na rede. Eu, até poucos anos atrás, não tinha nem e-mail. Mas hoje eu percebo essa dimensão que as pessoas me afalavam antes e que eu não conseguia entender. É um espaço de encontro e de reencontro. Hoje você tem na Internet um lado maravilhoso, um espaço que te permite encontrar, reencontrar e experimentar. E também tem um lado ruim, infelizmente, da irresponsabilidade, das informações imprecisas, das mentiras que se vestem de informação e que contaminam a rede. Então, esse lado bacana tem sido muito interessante pra mim. Muito bom mesmo.

O blog mostra a essência da Andrea, mas não mostra a intimidade? É mais ou menos isso?

Andrea Neves – É isso mesmo.

O que você jamais publicaria no seu blog?

Andrea Neves – Não é minha intenção falar de política. Isso eu quero evitar. Também não quero falar de coisas muito pessoais, para preservar a privacidade das outras pessoas.

Você se inspirou em algum blog pra fazer o seu?

Não, eu conheço pouquíssimos blogs pra te falar a verdade.

E o que é o mais importante pra você, quando você pensa no que vai postar?

Andrea Neves – Eu acho que escrevo mais pra mim do que para os outros. Eu acho que desde a hora que eu escolho sobre o que vou falar ou comentar, eu estou mais me reencontrando comigo mesma, pra depois ao mesmo tempo, me encontrar com as outras pessoas. Então, eu não tenho um tema definido. Eu paro pra escrever geralmente lá pra uma hora da manhã. Só de madrugada consigo parar para escrever algum post. E o que tem me movido é que sinto que, de alguma forma, eu estou tecendo as minhas memórias de afeto, de lembranças, de experiências. É quase uma terapia. Eu lembro que quando era mais jovem, eu gostava muito de escrever, de fazer poemas. O blog pra mim também virou aquele lugar de encontro com pessoas que antes eu encontrava na mesa de um bar e, como hoje em dia eu já não saio muito, já não tenho mais tempo, eu estou reencontrando ali. E é muito interessante, porque recebo vários comentários de pessoas que não vejo há muito tempo.

E como você filtra esses comentários para publicá-los?

Andrea Neves – Os comentários que são mais pessoais, eu não publico. Mas tenho reencontrado tanta gente que eu nem me lembrava mais. É bacana. É um prêmio, um presente.

Como chega para você a reação das pessoas em relação a seus posts e como eles influenciam na sua vida?

Andrea Neves – Num dos posts que eu fiz no blog, eu contei minha experiência em Cuba e isso surpreendeu muita gente, por que não combina com a Andrea que as pessoas tem na cabeça… Tem uma pessoa que me é muito especial que diz o seguinte: a vida é longa, mas passa rápido. Quer dizer, a gente tem chance ao longo de uma mesma vida, de ser pessoas diferentes. Em cada época da vida, a gente pode ser uma e pode ser várias em uma vida só. Então eu estava me lembrando das minhas várias Andreas. Aí eu me lembrei de uma Andrea que na época do movimento hippie atravessou os Estados Unidos com uma mochila e um saco de dormir, de uma outra, que foi para a Nicarágua ver a revolução sandinista, de outra ainda, que se dedicou à literatura. Eu tive várias Andreas na minha vida. Todas muito intensas e todas muito diferentes entre si. E eu sou filha de todas elas. Tem uma frase que gosto muito que diz que nós somos filhos da criança que fomos um dia. Eu hoje olho pra trás e enxergo todas essas Andreas com muita ternura, com todos os sonhos que já tive e me sinto filha de todas, e isso é o que me faz ser o que sou hoje.

Por falar em filhos, como é a sua rotina? Como você faz para conciliar educação de filho, casa, trabalho, viagens…

Eu acho que a gente não concilia. Eu não encontrei esse equilíbrio. Faço parte do clube das mães culpadas. Mas não conheço ninguém da minha geração, que trabalha mesmo, pra valer, que tem filhos, que consegue isso. Eu brinco que são quatro jornadas de trabalho, tem os filhos, o trabalho profissional, quem tem companheiro tem uma relação que tem que ter tempo e temos uma casa que tem que manter sua rotina, tem que funcionar. Então, são quatro demandas todos os dias e muito diferentes. Essa coisa de você olhar pra trás, ver o ano que passou e dizer que tudo foi bacana, não dá. Alguma coisa sempre fica em falta. Eu não conheço ninguém que ache que está tudo muito bem resolvido, uma mulher que tira tudo de letra e está tudo equilibrado.

Andrea, são muitos anos frente ao Servas. Até agora, o que fica para você como grande legado e aprendizado desse trabalho?

Andrea Neves – De aprendizado, talvez, fica a visão de como somos capazes de transformar. E transformar não é uma coisa que se meça em números, ou por estatísticas. Se somos capazes de transformar e tocar a vida de uma pessoa que seja, de uma família que seja, isso por si só justifica tudo. Aqui no Servas, pra mim, o legado e o aprendizado são a mesma coisa. E significa ter a convicção de que há sempre um gesto ao alcance de qualquer pessoa. Sempre há um gesto de solidariedade que podemos fazer, por menor que ele possa parecer, em qualquer lugar onde estivermos. Minha avó tinha uma frase, que acho que é de Santo Agostinho que fala “faça o que você puder, onde você estiver, com o que você tiver”. Então se o que a gente tem em mãos é a capacidade de articulação, de sensibilizar, de encontrar pessoas dispostas em torno de causas dos outros e não de nós mesmos, essa é a matéria-prima.

Você fala em transformação. Como é possível transformar a vida das pessoas?

Eu cada vez me convenço mais de que a gente transforma a sociedade por meio da solidariedade, por meio do amor. Alguém pode falar, “ah, mas que coisa piegas, que ridículo”. Mas se não nos importamos de verdade com o outro… esquece. Nós vamos continuar reproduzindo sociedades iguais à que temos hoje. Só se formos realmente capazes de incorporar o outro na vida da gente é que vamos conseguir começar a mudar as coisas. E todos os nossos programas, que criamos aqui no Servas, nascem dessa mesma matéria-prima que é a solidariedade. Ou seja, é o desejo de buscar capacidades de construir parcerias, de encontrar outras pessoas que tenham o mesmo tipo de sentimento, de incômodo com o mundo da forma como está estruturado hoje. São pessoas que se somam para poder mudar. O que queremos é uma gama de parceiros de várias áreas reunidos em torno de vários programas aqui do Servas, cada um contribuindo da melhor forma.

Há entre as injustiças sociais alguma que te toque com mais intensidade?

Andrea Neves – Uma coisa que me agride muito é a questão do idoso, a situação de abandono com que as pessoas idosas vivem na nossa sociedade. E eu não estou falando de abandono de idoso de classes sociais menos favorecidas. Pelo contrário. Geralmente, nas famílias mais pobres, a solidariedade é maior que a que existe nas famílias de classe média. Nós temos formas de segregar o idoso que é de muita crueldade. Quantos de nós combina de ir almoçar no domingo com o pai ou com os avós e, na última hora, liga dando uma desculpa, dizendo que não vai dar, seja porque está no clube com os amigos ou o que for, e promete que no domingo que vem será diferente? A gente começa a tirar essas pessoas do dia a dia da gente, como se isso fosse uma coisa absolutamente natural. Ninguém faz isso de má-fé, mas isso faz parte de um comportamento muito comum: isolamos essas pessoas e as condenamos.

Seria correto dizer que essa causa é a menina dos seus olhos no Servas?

Andrea Neves – Sim, porque com relação à questão da infância e da adolescência no Brasil, que também são situações dramáticas, você tem diversas entidades que, de alguma forma, colaboram no enfrentamento desses problemas. E o mais doloroso é que a criança, mal ou bem, tem uma certa perspectiva de futuro, você sempre acha que o tempo pode agir, que algo pode acontecer para ajudar. Com uma pessoa idosa, você não olha mais pra frente, você tem que olhar pra trás. Tudo isso me impressiona muito. Desde a quantidade de pessoas que vivem em asilos, que hoje em dia se chamam instituições de longa permanência para idosos e que são pessoas completamente abandonadas que ficam anos e anos sem receber uma visita, às pessoas de classe média, que não enviam para asilos, mas também segregam, deixando o idoso de lado.

Andrea, para finalizar a nossa conversa, não estaria na hora de Minas ter…

(interrompendo) Não… (risos)

Continuando: de Minas ter uma mulher à frente do governo mineiro?

Andrea Neves – Nem sei, de repente até está. Eu acho que a hora é de continuarmos tendo pessoas sérias à frente do governo de Minas. Mas do meu ponto de vista pessoal, eu não sou candidata, não. Eu nunca tive vontade, embora já tenha tido oportunidade de ser (candidata) em outros momentos. Mas não tenho a mínima vontade. Eu volto ao que eu te disse no começo, sou muito tímida. Eu acho que cada um tem um temperamento. Essa candidatura… algumas pessoas tem um talento, uma vontade. Eu, que sou mais tímida, que sou mais fechada, que não gosto da exposição e que pelo fato de ser tão fechada não ter criado condições das pessoas me conhecerem mais… Ou seja, eu não vou ser candidata nunca! Como não fui no passado. Nossa mãe! Nananinanão.