• dezembro 2018
    S T Q Q S S D
    « set    
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31  
  • Categoria

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Twitter Blog Aécio Neves

  • Anúncios

Aécio afirma que brasileiro está cansado da incompetência do PT

Aécio: “Trago aqui a indignação dos brasileiros e brasileiras com os quais encontro, em toda a parte do Brasil.”

Eleições 2014

Fonte: Jogo do Poder

Povo brasileiro quer se libertar do governo PT, diz Aécio em debate

O candidato da Coligação Muda Brasil à Presidência da RepúblicaAécio Neves, afirmou, nesta terça-feira (14/10), em São Paulo, que o povo brasileiro já está cansado da incompetência que permeou o governo federal durante os 12 anos da gestão petista. O candidato destacou que o pedido que mais tem ouvido de eleitores em suas andanças pelo Brasil é o de “libertação”.

“Trago aqui a indignação dos brasileiros e brasileiras com os quais encontro, em toda a parte do Brasil. Sabe qual a palavra que eu mais tenho ouvido? Libertação. Os brasileiros têm me pedido o seguinte: ‘Aécio, nos liberte desse governo do PT. Nós não merecemos tanta irresponsabilidade, tanto descompromisso com a ética e tanta incompetência’”, disse.

Em debate com a candidata a reeleição à Presidência da RepúblicaDilma Rousseff, naRede BandeirantesAécio agradeceu o voto de confiança de “mais de 30 milhões de brasileiros que acreditaram na proposta de mudança” e o levaram ao segundo turno das eleições, e lembrou as recentes adesões da candidata do PSB à Presidência da RepúblicaMarina Silva, e da viúva do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos(PSB), morto em agosto deste ano.

“Tenham absoluta certeza de que saberei a cada dia dos próximos quatro anos, se vier a ser o presidente da República, honrar cada um dos compromissos que juntos assumimos. Eu me preparei para dar aos brasileiros um governo honrado, eficiente, que avance na qualidade da saúde pública, que enfrente com coragem o drama da criminalidade, que melhore a nossa qualidade da educação. Não permitirei que esse país seja dividido entre nós e eles. Quero fazer o governo da convergência, da solidariedade, da generosidade”, ressaltou Aécio.

“É possível, sim, termos um governo que permita que você viva melhor, que dê novas oportunidades para os seus filhos, que respeite as obras de outros governos. É para isso que eu me preparei e vou assumir a Presidência da República, para honrar cada apoio e cada voto que vier a receber”, salientou.

Mais saúde

Durante o debate, Aécio detalhou diversas propostas de seu governo para a área de saúde, segundo ele negligenciada pela gestão petista. O candidato à Presidência da República lembrou que, durante seu governo em Minas Gerais (2003-2010), o Estado apresentou o melhor atendimento de saúde de toda a região Sudeste. Ele prometeu investir no programa Saúde da Família, criado no governo de Fernando Henrique Cardoso, cuidar das Santas Casas, reajustar a tabela do Sistema Único de Saúde (SUS), e ampliar o atendimento em especialidades médicas.

“O que quero no Brasil é mais saúde, com mais investimento do governo federal. Lamento que a senhora [Dilma] tenha cuidado disso, ou se preocupado com isso, no momento em que seu governo termina. Não cuidou disso nos últimos 12 anos. A impressão que tenho é que  temos aqui dois candidatos de oposição. Não temos um candidato de continuidade. Quem vê a sua campanha acha que a senhora não governou o Brasil ao longo de todos esses anos. Lamento que não tenha feito, ao longo do seu mandato, o que se propõe a fazer agora”, criticou.

Mais educação

Para Aécio, a educação é “essencial para que qualquer país avance na busca de um futuro melhor”. Tendo isso em vista, o candidato a presidente do Brasil defendeu o aperfeiçoamento de programas de ensino profissionalizante como o Pronatec, que foi inspirado nas Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) do governo de Geraldo Alckmin, em São Paulo, e no Programa de Educação Profissional (PEP) iniciado em seu governo em Minas Gerais.

“Um orgulho que tenho na vida foi ter levado Minas Gerais a ter a melhor educação fundamental do Brasil quando eu era governador, não sendo o mais rico dos Estados brasileiros e tendo o maior número de municípios. O Pronatec é um bom programa, mas precisa ser aperfeiçoado. A grande maioria dos alunos do Pronatec tem uma carga horária muito pequena, até 120 horas. Precisamos fazer cursos técnicos de maior duração, porque muitos que estão se formando no Pronatec não estão encontrando uma colocação adequada”, avaliou.

Ele acrescentou que se orgulha de ter contribuído para inspirar o governo de Dilma Rousseff“a fazer um bom programa, que precisa ser aperfeiçoado rapidamente”.

Mais segurança

Aécio Neves destacou que o governo Dilma Rousseff também falhou em outro importante setor, a segurança. Apenas 13% do conjunto de investimentos em segurança pública no Brasil vem da União. O restante, 87%, sai dos cofres de Estados e municípios. Aécio prometeu que seu governo vai dar prioridade a uma Política Nacional de Segurança Pública, que vai proibir o contingenciamento de recursos para o setor.

“No meu governo, vou assumir o comando de uma Política Nacional de Segurança Pública. Controlando as nossas fronteiras. Fortalecendo as nossas Forças Armadas, também abandonadas no governo PT, dando à Polícia Federal a estrutura que ela deixou de ter. Vamos enfrentar, em uma discussão altiva, os países que hoje produzem droga ou matéria prima de droga, que vem matar gente aqui no Brasil. Vou proibir o contingenciamento, que é o represamento dos recursos de segurança pública, para que cada Estado possa saber com o que contar e planejar os seus investimentos”, detalhou.

Aécio também reafirmou a necessidade de se avançar no enfrentamento da violência contra a mulher. Para ele, o governo federal não tem oferecido a estrutura adequada aos programas de Disque-Denúncias e às delegacias especializadas.

“Tenho absoluta convicção de que temos como avançar muito no que diz respeito à proteção à mulher, a oportunidades para as mulheres terem um salário mais justo, mais próximo daqueles que têm os homens. Ainda estamos extremamente longe disso. Infelizmente, os próprios fundos, sejam do Fundo Penitenciário, do Fundo de Segurança, extremamente importantes para apoiar os Estados a fazer investimentos para ampliar, por exemplo, as delegacias de proteção à mulher, não chegam. Não há planejamento”, lamentou. 

Menos corrupção

Aécio também propôs à presidente Dilma Rousseff que elevasse o nível do debate durante a campanha presidencial. Ele criticou a postura da adversária petista, pautada por “ataques violentos” e “inverdades”, e mostrou-se estarrecido com as crescentes denúncias de corrupção no atual governo.

“Todos nós, brasileiros, acordamos a cada dia surpresos com novas denúncias. O que acontece na Petrobras é algo extremamente grave, que jamais ocorreu nessa República. É preciso muito mais do que um conjunto de boas intenções em final de governo para o resgate da credibilidade da vida pública. A senhora [Dilma], infelizmente, não tem tomado a atitude que o Brasil espera nesse caso”, completou Aécio.

Anúncios

Boa parte dos governadores eleitos dão vantagem a Aécio

Estrategistas da oposição contam com apoio dos governadores eleitos em 1º turno, que estão livres para buscar votos para Aécio.

Eleições 2014

Fonte: Estado de Minas

Aécio leva vantagem na soma dos votos obtidos por governadores eleitos

Aécio sai na frente de Dilma na quantidade de votos recebidos pelos governadores aliados eleitos no primeiro turno. Ele também recebeu o apoio de quatro presidenciáveis

Em uma das eleições mais imprevisíveis e disputadas da história recente do país, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) disputam voto a voto para saber quem tomará posse como presidente da República em janeiro de 2015. E, se a busca por aliados no momento atual não altera mais o tempo de televisão, serve para definir um conjunto de parceiros que buscarão influenciar os próprios eleitores até 26 de outubro. Como se diz no jargão eleitoral, uma pessoa, um voto.

Analistas políticos alertam que transferência completa de votos não existe – o mais próximo do ideal ocorreu em 1989, quando Leonel Brizola pediu para que seus eleitores votassem em Luiz Inácio Lula da Silva. Mas, a 12 dias do segundo turno das eleições presidenciais, tucanos e petistas munem-se de calculadora para saber com quem podem contar.

Aécio Neves foi o único dos postulantes que recebeu apoios de presidenciáveis após a apuração de primeiro turno. Com a adesão recente de Marina Silva, o tucano tem ao seu lado candidatos que, juntos, receberam 23,4 milhões de votos em 5 de outubro. As contas do comando aecista são de uma transferência na ordem de 70% a 80%, especialmente nos grandes centros urbanos, onde o voto é mais denso pró-Marina e em Pernambuco, após o apoio dado pela família do ex-governador Eduardo Campos. Os estrategistas da candidatura de oposição também contam com o apoio dos governadores eleitos em primeiro turno e que, livres desde a noite do dia 5 de outubro da tarefa de garantir a própria sobrevivência por mais quatro anos, estão livres para cabalar votos para o tucano.Nesta fase inicial da disputa, os aliados do presidenciável do PSDB receberam mais votos, embora tenham sido vitoriosos em menos estados. Os governadores que declararam apoio a Dilma e que venceram os respectivos embates em primeiro turno somaram 13,25 milhões de votos, incluindo aí a virada na disputa pelo governo da Bahia e a eleição de Fernando Pimentel em Minas Gerais. Mas a turma de Aécio teve mais o apoio do eleitor. Foram 20,3 milhões de votos para postulantes ao poder estadual e que distribuíram santinhos, pediram apoio ou deixaram que o presidenciável tucano aparecesse em seus programas eleitorais. A grande maioria dos sufrágios que compõem essa avalanche veio de São Paulo: Geraldo Alckmin foi reeleito para mais quatro anos à frente do Palácio dos Bandeirantes com 12,2 milhões de votos.

Embora alguns cientistas políticos ponham um peso relativo nessa conta, afirmando que nem sempre palanques estaduais fortes e aliados de peso garantam êxito nas urnas, Dilma fez questão de, na primeira propaganda eleitoral de segundo turno, iniciada na quinta-feira passada, desfilar todos os vitoriosos do seu campo político no primeiro turno. Ela já havia feito uma reunião com eles dois dias antes, para traçar a estratégia de ação nessa segunda fase da disputa.

A nova rodada de votações, que será realizada no dia 26, ainda reserva uma quantidade enorme de votos em aberto. Haverá eleição em 13 estados e no Distrito Federal. Sem o peso de São Paulo, o resultado de Aécio é bem inferior ao da presidente Dilma. Políticos que apoiam o senador mineiro e que passaram para o segundo turno receberam, no primeiro turno, 8,59 milhões de votos. Já no caso da petista, o resultado é mais que o dobro: 18,39 milhões.

Panfletagem

Nessa segunda-feira, em São Paulo, os partidos que tinham candidatos próprios no primeiro turno e aderiram à campanha de Aécio afirmaram que farão uma grande panfletagem no vão central do Masp, na Avenida Paulista, na segunda-feira. A ideia é aproveitar a hora do almoço para distribuir santinhos e mensagens do tucano ao maior número de pessoas possível.
Um dos articuladores do movimento, o vereador e candidato derrotado ao governo de São Paulo pelo PV, Gilberto Natalini, disse que o grupo suprapartidário reuniu pessoas com representatividade no cenário político paulista. “PV, PPS, PSB, parte da Rede, PHS e PSDB, além da nova central sindical, que tem 350 sindicatos e representa 1,3 milhão de trabalhadores. Não é militante pago para ficar sacudindo bandeirinha em semáforo, não”, provocou Natalini.

Em Brasília, Dilma minimizou os apoios mais numerosos conquistados por Aécio no início do segundo turno, especialmente a adesão do PSB e de Marina à campanha tucana. “Acho que a campanha em questão era composta pelo PSB e a Rede. O PSB não apoia totalmente oAécio nem a mim. Há uma série de pessoas que divergem, como o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho”, citou a presidente. Coutinho disputa o segundo turno contra o candidato do PSDBCássio Cunha Lima.

A presidente lembrou que o ex-presidente do PSBRoberto Amaral, iria encontra-la ainda ontem para expressar o apoio à sua reeleição. “Tenho certeza que o pessoal mais ligado ao ex-governador Arraes, nunca estaria com Aécio Neves”, alfinetou a petista. Ela não quis considerar, no entanto, traição o apoio dado pela família de Eduardo Campos a Aécio. “Não considero traição, mas direito legítimo deles de apoiar quem eles querem”, disse ela, sem confirmar se visitará Pernambuco antes do término do segundo turno.

Rede de proteção à mulher será uma das prioridades do governo de Aécio Neves

Aécio afirmou que pretende criar uma rede de proteção à mulher, ampliar o sistema do Disque-Denúncia e construir mais 6 mil creches no país.

Eleições 2014

Fonte: Jogo do Poder

Vamos tirar das estatísticas macabras do Brasil o aumento da violência contra a mulher, diz Aécio

No Dia Nacional da Prevenção da Violência contra a Mulher, o candidato à Presidência da República pela Coligação Muda BrasilAécio Neves, anunciou nessa sexta-feira (10/10) uma série de compromissos. Aécio afirmou que pretende criar uma rede de proteção à mulher, ampliar o sistema do Disque-Denúncia e construir mais 6 mil creches no país.

Aécio comprometeu-se a ampliar os abrigos familiares a partir de parcerias com municípios. “Nós temos que tirar das estatísticas macabras do Brasil o aumento dos crimes e violência contra a mulher”, afirmou.

Para o candidato, é fundamental reiterar os compromissos com as trabalhadoras e trabalhadores, como a revisão do fator previdenciário. “Vamos encontrar uma forma que não seja tão perversa para com os aposentados como vem sendo o fator [previdenciário]”, disse.

Aécio lembrou ainda que, entre suas prioridades, está a correção da tabela do Imposto de Renda pela inflação. O governo da presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, anunciou o reajuste da tabela em 4,5% para 2015, muito abaixo dos atuais patamares inflacionários. Em 12 meses até setembro, a inflação ficou em 6,75%. Isso significa que o reajuste de Aécio, nesse caso, seria de 2,25 pontos acima da proposta do governo.

O candidato tucano também se comprometeu com a valorização real do salário mínimo, mantendo a atual fórmula até 2019, conforme proposta do PSDB e Solidariedade em tramitação na Câmara. “São só compromissos de um governante que se preparou para exercer o cargo e iniciar uma nova história no Brasil”, destacou.

Pernambuco

O candidato confirmou que estará neste sábado (11/10) no Recife, onde participará de uma série de encontros políticos, onde receberá o apoio do PSB de Pernambuco à sua campanha, e visitará Renata Campos, viúva do ex-governador Eduardo Campos, morto em agosto em acidente aéreo.

“Teremos lá um ato formal de apoio de todo o PSB regional à nossa candidatura. O que para mim é uma honra poder receber esse apoio e de enorme emoção, porque recebo o apoio do grupo político de Eduardo Campos”, afirmou Aécio. “[Eu] me considero capaz de levar, Brasil afora, as propostas, os projetos de Eduardo Campos.”

Aécio destacou ainda que respeita o tempo de cada um no que se refere às definições políticas. Questionado sobre a formalização do apoio do ex-jogador Romário (PSB), eleito senador mais votado do Rio de Janeiro, ele reiterou o respeito que tem pelo ex-atleta e seus esforços na valorização e qualificação do esporte nacional.

Rede Sustentabilidade vai estar com Aécio no 2º turno

Rede Sustentabilidade aprovou na noite desta quarta apoio a Aécio Neves ou voto branco ou nulo no 2º turno da eleição presidencial.

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Rede aprova apoio a Aécio ou voto nulo no segundo turno

Marina se encontrou com Fernando Henrique Cardoso em São Paulo

Rede Sustentabilidade aprovou na noite desta quarta-feira apoio a Aécio Neves ou voto branco ou nulo no segundo turno da eleição presidencial. O diretório nacional do partido reformou a posição da Executiva definida na noite anterior de defesa da mudança de governo, sem citar de forma explicita o indicativo de voto no tucano.

Havia resistência dentro do partido de Marina, que se encontrou nesta quarta-feira com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a apoiar Aécio por causa da desconfiança em relação ao compromisso do PSDB com questões sociais. Após discussões na reunião, a resistência foi vencida.

Rede decidiu ainda fazer um documento com propostas que considera fundamentais que sejam assumidas pelos candidatos no segundo turno da disputa.

— O que vamos fazer: não a Dilma, sim ao Aécio, mas com o nosso programa, com os pontos que destacamos. Foi isso que decidimos, deixando a possibilidade de as pessoas daRede votarem em branco ou nulo — afirmou a ex-ministra do Superior Tribunal de Justiça(STJEliana Calmon, que é integrante do partido.

A ex-ministra disse ainda que fará campanha ao tucano se ele visitar a Bahia, seu estado.

Participaram da reunião 80 dos 120 integrantes do diretório do partido, que não existe formalmente porque não foi homologado pela Justiça Eleitoral no ano passado. O nome deAécio estará no documento redigido pela legenda como resultado do encontro.

— Em hipótese nenhuma o apoio a candidata Dilma. Nós acreditamos que o Brasil tem necessidade de produzir alternância democrática. A síntese da mudança simboliza a votação em Aécio, nulo ou branco. Seriam as três posições que a Rede considera adequada no processo de mudança que o Brasil precisa realizar — afirmou Walter Feldman, porta voz da Rede.

Nesta quinta-feira, os partidos da coligação vão se reunir em Brasília para discutir a possibilidade de adotarem uma posição comum no segundo turno. O PSB e o PPS definiram apoio a Aécio. A Rede, apesar de não ter registro legal, é tratada como um partido dentro da coligação. O PHS, um dos nanicos da coligação, anunciou nesta quarta-feira que não participará das discussões e tomará sua posição individualmente.

Marina desistiu, de ultima de hora, de participar do encontro. Ele será representada por Feldman.

Marina se encontrou nesta quarta-feira com o ex-presidente Fernando Henrique Cardosopara tratar do apoio ao PSDB. Segundo Feldman, a iniciativa foi da ex-senadora. A reunião aconteceu no apartamento do líder tucano, em São Paulo

Pesquisa CNT/MDA mostra Aécio e Marina empatados tecnicamente

Se a eleição fosse hoje Dilma teria 40,4% das intenções de voto, Marina 25,2%. e Aécio Neves (PSDB) aparece com 19,8%.

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Dilma aumenta vantagem em relação a Marina, aponta pesquisa CNT/MDA

Petista aparece com 40,4%, e com socialista 25,2%. Aécio Neves teria 19,8%

Pesquisa CNT/MDA divulgada nessa segunda-feira aponta que a presidente Dilma Rousseff (PT), que concorre à reeleição, aumentou sua vantagem em relação a Marina Silva (PSB). De acordo com o levantamento, se a eleição fosse hoje a petista teria 40,4% das intenções de voto, enquanto a socialista, 25,2%. Aécio Neves (PSDB) aparece como opção para 19,8%.

No levantamento anterior, Dilma foi citada por 36% dos eleitores, e Marina, por 27,4%. Aécio, naquele cenário, tinha 17,6%. Como a margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais, isso demonstra que Aécio cresceu dentro dessa margem, assim como Marina caiu no mesmo patamar. Apesar disso, a diferença entre a socialista e o tucano caiu de 9,8 pontos percentuais para 5,4. Dilma registrou crescimento real, acima dos 2,2 pontos percentuais.

Luciana Genro (PSOL) oscilou de 0,9% para 1,2%; Pastor Everaldo foi de 0,8% para 0,6%. Os outros candidatos aparecem com 0,5%, enquanto votos brancos e nulos atingem 5,9%, e 6,4% não souberam ou não quiseram responder. Somados, os adversários da petista têm 47,3% das intenções de votos.

Numa simulação de segundo turno entre Dilma e Marina, a petista venceria por 47,7%, enquanto a socialista teria 38,7%, uma diferença de nove pontos percentuais. É a primeira vez na pesquisa realizada pela CNT/MDA em que Dilma aparece à frente de Marina no segundo turno.

Num hipotético cenário entre Dilma e Aécio, ela teria a preferência de 49,1%, e o tucano, de 36,8%.

A maioria dos eleitores acredita que Dilma será reeleita – são 61% que pensam dessa forma contra 51,2% no levantamento anterior, feito em 23 de setembro. A avaliação positiva do governo também cresceu e passou de 37,4% para 41%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 27 e 28 de setembro e foram ouvidos 2002 eleitores. A margem de erro é de 2.2 pontos percentuais. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob número BR-00892/2014.

Aécio reafirma compromisso com profissionais de saúde

Aécio reafirmou o seu compromisso com a criação da carreira dos profissionais de saúde e a melhoria das condições de trabalho.

Eleições 2014

Fonte: Jogo do Poder

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, recebeu nesta segunda-feira (30) o apoio de centenas de médicos de Minas Gerais e reafirmou o seu compromisso com a criação da carreira dos profissionais de saúde e a melhoria das condições de trabalho e da assistência à saúde.

Aécio se reuniu com os profissionais na sede da Associação Médica de Minas Gerais e protestou contra a queda nos gastos do governo federal com a saúde durante as administrações do PT, onerando Estados e principalmente municípios.

“Vamos resgatar os investimentos federais que, no governo do PT, vêm diminuindo a cada ano. Em 2003, quando o PT assumiu o governo, 56% do conjunto de investimentos em saúde vinham da União. Hoje apenas cerca de 46% vêm da União”, ressaltou ele.

Compromissos

O candidato reiterou o compromisso de criar 500 clínicas de especialidades médicas e acrescentou que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) irá financiar os médicos para abertura de clínicas em regiões pré-determinadas pelo governo, onde haja carência de atendimento naquela especialidade.

“O Brasil precisa de mais saúde, de mais investimentos, de mais respeito com aqueles que trabalham na saúde pública”, disse o candidato, sendo aplaudido de pé.

O presidenciável lembrou que seu programa de governo foi discutido com a Associação Médica Brasileira, prevendo a retomada do Programa Médico da Família e um diálogo permanente com as entidades da área para a melhoria da saúde pública.

“O programa Saúde da Família será no nosso governo resgatado, já que foi abandonado pelo atual governo, um governo que fechou 13 mil leitos hospitalares nos últimos anos, que permite que as Santas Casas vivam uma extraordinária crise, talvez sem precedentes na sua história.”

Em relação ao Programa Mais MédicosAécio reiterou que é um projeto de solução temporária. “Vamos cuidar estruturalmente da saúde pública no Brasil.”

Apoios

Presente ao ato de apoio à candidatura de Aécio, o pediatra Fábio Guerra disse que o presidenciável apresentou “uma proposta clara de ações para a saúde que coincide com as nossas aspirações”. Ele citou como exemplos de ações o financiamento adequado para a saúde, apoio à criação da carreira de estado para o médico e reestruturação da rede de atendimento.

A médica aposentada Valquíria de Paula afirmou que Aécio Neves é “a única pessoa com qualidades e equipe de trabalho” para assegurar que o país avance. Ela disse que a assistência à saúde piorou muito nos governos do PT. “Nesses 12 anos nós estamos só de ré”, afirmou.

“Nesses meus 42 anos de medicina, a gente sempre pediu para os colegas que estão na direção da saúde condições de trabalho e salário digno. Essas duas coisas só estão piorando. Tenho casos impressionantes, como escorpião andando no meio de pacientes, ratazana comendo a coxa de paciente tetraplégica em cima de uma maca. Vi cenas que são realmente de filme de terror”, destacou.

Aécio apresenta programa de governo no Facebook

Segundo Aécio, programa de Governo é resultado de um processo que envolveu especialistas em várias áreas e debate com a sociedade.

Coligação Muda Brasil

Fonte: Jogo do Poder

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda BrasilAécio Neves, destacou que seu programa de governo, que começa a ser apresentado nesta segunda-feira (29/09) pelo Facebook, é o resultado do trabalho conjunto. Segundo ele, um processo que envolveu especialistas em várias áreas e debate com a sociedade para a elaboração de propostas que serão colocadas em prática a partir do primeiro dia à frente do Palácio do Planalto, em 1º de janeiro de 2015.

“A nossa proposta, construída a muitas mãos – centenas de pessoas foram envolvidas nisso –, começa hoje a ser divulgada. Agora, eu vou fazer de uma forma diferente, inédita até, para que programa de governo não seja apenas um documento acadêmico onde poucos manuseiam, e a população não tenha ideia daquilo que ali está sendo tratado”, ressaltouAécio, durante vista a São Bernardo do Campo (SP).

Aécio afirmou que a premissa do programa de governo é a defesa das liberdades individuais e coletivas. Essa premissa é desdobrada em quatro eixos: direitos do cidadão e da sociedade; desenvolvimento para todos; Estado democrático, soberano, solidário e eficiente; e a sustentabilidade.

Debates

Aécio ressaltou que a sustentabilidade – eixo que será apresentado e debatido nesta segunda pelo coordenador da área, o ambientalista Fabio Feldmann – vai além da questão ambiental. “Passa pela questão urbana, pela questão da mobilidade, a integração de várias ações de governo”, explicou Aécio.

Na terça-feira (30/09), o debate no Facebook com o ex-governador de Minas Gerais Antônio Anastasia, candidato ao Senado pelo PSDB, tratará da questão do Estado democrático e eficiente. Já os eixos sobre a cidadania e o desenvolvimento econômico do país serão abordados em encontros pela rede social na quarta, quinta e sexta-feira – 1º, 2 e 3 de outubro, respectivamente.

“[Este] é um programa para ser aplicado. Ao contrário dos outros, que fazem um diagnóstico, que apresentam um conjunto de boas intenções, nós estamos falando de propostas exequíveis, de propostas que, a partir de 1º de janeiro, começarei a colocar em prática”, afirmou.

Aécio acrescentou que a decisão de apresentar o programa no Facebook tem o objetivo de democratizar a discussão. “A meu ver, é a forma mais democrática e mais honesta de se apresentar um programa dessa complexidade”, disse Aécio.