• setembro 2018
    S T Q Q S S D
    « set    
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
  • Categoria

  • Mais Acessados

  • Arquivo

  • Twitter Blog Aécio Neves

  • Anúncios

Governo do PT repassa menos recursos para a segurança de Minas

Minas figura entre os estados que menos receberam recursos per capita para a área de segurança pública em todo o Brasil nos últimos três anos.

Gestão Deficiente do PT

Fonte: Estado de Minas

Governo do PT despreza MG no repasse da segurança 

Sem título

Muito ao contrário do que alardeia o candidato petista ao Governo do Estado, a segurança pública de Minas Gerais foi desprezada pelo governo federal do PT. Em uma amostra de claro descaso com o povo mineiro, Minas Gerais figura entre os estados que menos receberam recursos per capita para a área de segurança pública em todo o Brasil nos últimos três anos. Segundo revela reportagem publicada nesta sexta-feira (12/09) pelo jornal “Estado de Minas”, entre 2011 e 2014, foram repassados ao setor de segurança pelo governo de Dilma Rousseff apenas R$ 2,18 para cada habitante do Estado, investimento considerado pífio por especialistas do setor.

Este repasse praticamente irrisório coloca Minas atrás de 24 estados da Federação e do Distrito Federal. O valor total repassado a Minas por meio de convênios com o governo federal foi de R$ 42,7 milhões, para uma população de 19,5 milhões, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ainda conforme informa a reportagem, os montantes são transferidos para os estados por meio de contratos firmados junto ao Ministério da Justiça e o Departamento Penitenciário Nacional (Depen). Os recursos são utilizados pelos governos estaduais para reforçar as estruturas dos órgãos de segurança pública, por meio da aquisição de equipamentos e treinamentos de policiais.

Os repasses para a segurança pública demonstram que, além de ter virado as costas para Minas, o governo do PT destina maiores parcelas de recursos para estados governados por seus aliados. Os estados que mais receberam investimentos para o setor foram o Acre e Rondônia, que têm no comando, respectivamente, governadores do PT e do PMDB. Na parte de baixo do ranking está, além de Minas, o Estado de São Paulo, que é governado por Geraldo Alckmin (PSDB). Apesar de possuir população de mais de 41 milhões de pessoas, São Paulo recebeu no período apenas R$ 0,75 por habitante, figurando na última posição no ranking de repasses do governo Dilma.

O fato de Minas Gerais figurar na antepenúltima posição dentre os estados beneficiados se deve a obstáculos impostos pelo próprio governo do PT. Ao jornal, o secretário de Estado de Defesa Social, Marco Antônio Romanelli, afirmou que as burocracias impostas pelo governo federal dificultam a liberação dos recursos. “Há uma lista de projetos que foram encaminhados ao governo federal e que não foram analisados ou aprovados. Eles somam mais de R$ 32 milhões e estão relacionados à construção de unidades socioeducativas, capacitação de policiais, combate às drogas e estruturação de unidades integradas das polícias”, informou Romanelli, segundo o Estado de Minas.

Prioridade para Minas

“É lamentável que o PT faça distinções partidárias até em uma área tão importante. Esta é a postura desses que querem governar Minas Gerais. Ao beneficiar seus aliados, o PT vira as costas para o cidadão mineiro. O Governo de Minas, ao contrário, entende que, muito mais do que uma atribuição constitucional dos estados, a segurança pública é um setor que exige muitos investimentos. Por isso, nós vamos fortalecer ainda mais a estrutura das forças deDefesa Social e ampliar as ações de policiamento ostensivo nas ruas das cidades mineiras”, disse o candidato a governador pela Coligação Todos por MinasPimenta da Veiga, ao reafirmar seus compromissos para o setor.

Apesar do menosprezo do governo do PT com relação ao Estado, os governos do PSDB em Minas não apenas cumpriram seu papel constitucional com relação ao setor, como, ainda, lideraram o ranking nacional de investimentos em combate à criminalidade. Minas é o Estado que mais investe em segurança no Brasil, proporcionalmente ao orçamento, de acordo com dados do 7º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Além disso, Minas possui a melhor gestão de segurança pública do país, segundo levantamento de Governança de Segurança Pública, divulgado no último mês de abril pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Anúncios

Gestão da Segurança: Uberaba vai ganhar projeto Olho Vivo

Governo Anastasia: O investimento será de R$ 6 milhões, oriundos do financiamento realizado pela Seds com o BID

Gestão da Segurança: Govenro Anastasia

Fonte: Agência Minas

Projeto ajuda a reduzir até 50% a incidência de crimes violentos

O reforço na segurança foi anunciado durante reunião da Integração da Gestão em Segurança Pública (Igesp)

A cidade de Uberaba, no Triângulo Mineiro, vai ganhar uma das ferramentas de Defesa Social mais eficientes no combate à criminalidade. Até o início do próximo ano serão instaladas cerca de 50 câmeras de monitoramento do Olho Vivo, projeto que contabiliza até 50% de diminuição de crimes violentos nas regiões onde já foi implantado. A previsão é que as câmeras sejam implantadas na região do Centro Comercial da cidade. O investimento será de R$ 6 milhões, oriundos do financiamento realizado pela Seds com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Por meio do Olho Vivo as imagens das ruas onde as câmeras de videomonitoramento estão instaladas são enviadas para uma central onde passam a ser visualizadas, gravadas, reproduzidas e arquivadas. Além da inibição dos crimes, o projeto também tem bons resultados na pronta resposta das polícias na identificação e prisão de suspeitos.

O reforço foi anunciado nesta quarta-feira (8) durante reunião da Integração da Gestão em Segurança Pública (Igesp), na 5ª Região Integrada de Segurança Pública (5ª Risp), sediada em Uberaba. O município é o quinto do Estado a receber a cúpula da Defesa Social que, até final do ano, irá se reunir com todos os comandantes das regiões daPolícia Militar e chefes de departamentos regionais da Polícia Civil nas 18 Risps do Estado.

Nestas reuniões, o secretário de Estado de Defesa Social, Rômulo Ferraz, o comandante geral da Polícia Militar, Cel. Márcio Martins Sant´Ana, e o chefe da Polícia Civil, Dr. Cylton Brandão da Matta vão até as cidades sedes das Risps para fazer uma discussão regionalizada dos problemas. A partir deste diagnóstico, são traçadas metas objetivas e de curto prazo para a contenção da violência, como as anunciadas em Uberaba.

Além do projeto Olho Vivo, a cidade vai contar com um Posto de Perícia Integrada (PPI), iniciado no primeiro semestre do ano que vem que reunirá as atividades do Instituto Médico Legal (IML) e da Perícia Criminal. A delegacia regional da 5ª Risp também será reformada – obra estimada em 1,5 milhão – e até que o PPI fique pronto, será realizada uma reforma também no atual IML. O secretário de Defesa Social acredita que as medidas adotadas terão impacto em breve na criminalidade do município, além de refletirem na capacidade de trabalho das polícias.

Durante a reunião, o chefe da Polícia Civil, Dr. Cylton Brandão, também salientou a importância da contratação imediata de estagiários de direito para dar suporte às atividades burocráticas das delegacias da 5ª Risp e da chegada de novos delegados e escrivães à região, ainda neste ano. “Nossa previsão é que os escrivães estejam trabalhando já em outubro e os delegados, entre fevereiro e março.”

Igesp

A nova metodologia das reuniões do Igesp (Integração da Gestão em Segurança Pública) foi anunciada pelo secretário Rômulo Ferraz em maio, no lançamento do Plano Integrado de Enfrentamento à Violência. Além das reuniões regionalizadas nas Risps do interior, baseadas nas reuniões do Comitê Interinstitucional de Monitoramento dos Crimes Violentos, o novo formato da metodologia prevê a realização do Igesp Temático de Proteção Pública, voltado para o acompanhamento das metas definidas no ano para o Corpo de Bombeiros. As Risps de Montes Claros, Ipatinga, Poços de Caldas e Divinópolis já receberam reuniões da cúpula da Defesa Social, que contam também com o envolvimento da Justiça e do Ministério Público.

A Integração da Gestão em Segurança Pública (Igesp) é um modelo de organização e gestão do trabalho policial para integrar ações e informações de segurança. Iniciada de forma pioneira em Minas Gerais em 2003, a metodologia foi um dos fatores responsáveis pela redução de quase 50% dos índices de criminalidade no Estado nos últimos anos. O Igesp contempla áreas de atuação, procedimentos, metodologias e delimitação de territórios geográficos comuns, em níveis operacionais, táticos e estratégicos.

Link da matéria: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/uberaba-vai-ganhar-cerca-de-50-cameras-de-monitoramento-do-projeto-olho-vivo/

Governo Anastasia: Militares, civis e bombeiros terão seis reajustes escalonados até 2015.

Polícia dobrará salários

Fonte: Ernesto Braga – Estado de Minas

Militares, civis e bombeiros terão seis reajustes escalonados até 2015. Estado afirma que aumento levará piso para R$ 4 mil, colocando Minas com segunda maior remuneração do país

Policiais militares, civis, bombeiros e agentes penitenciários, inclusive os de funções administrativas, terão o salário dobrado em quatro anos. A secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, anunciou ontem o reajuste escalonado válido para todo o sistema de Defesa Social de Minas. Serão 7% em dezembro, 10% em outubro de 2012, 13% em agosto de 2013, 15% em junho de 2014, 12% em dezembro do mesmo ano e 15% em abril de 2015. A soma chega a 72%. Ao final, com o reajuste de cada etapa incidindo sobre a outra, o piso inicial de todas as categorias passará de R$ 2.041 para R$ 4 mil.

De acordo com a secretária, os salários serão corrigidos na folha de pagamento do mês posterior ao que foi aplicado o reajuste. Ou seja, os servidores da área de defesa social vão receber o primeiro pagamento reajustado em janeiro de 2012. Ela observa que o décimo terceiro salário de 2011 também terá incidência do reajuste. “Pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), o décimo terceiro seria reajustado em um doze avos. Mas nós pagaremos o valor integral”, afirmou.

Segundo ela, o aumento salarial das polícias, bombeiros e agentes penitenciários não estava previsto para 2011, mas foi analisado pelas equipes econômica e de planejamento do governo, atendendo solicitação dos comandantes e chefes das corporações. “Eles apontaram a necessidade de mantermos essa política remuneratória aplicada desde 2004. Tínhamos proposto 5% a partir de dezembro, mas decidimos rever, já que o menor reajuste dos servidores estaduais foi de 6%. Dessa forma, chegamos a 7% (na primeira etapa da escala)”, detalhou.

A secretária afirma que o reajuste escalonado é necessário para não ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal. “Não seria possível atendermos a reivindicação salarial em etapa única. Esse é o escalonamento que podemos suportar, aplicando índices que teremos condições de pagar, sem atrasos, no quinto dia útil do mês. Foi a proposta mais ousada à qual conseguimos chegar”, declarou. Renata Vilhena informou que todo o sistema de Defesa Social mineiro teve 104% de reajuste salarial de 2004 a 2011. O índice da inflação no período foi de 59%.

SEGUNDO MAIOR Com o reajuste salarial escalonado, policiais militares, civis, bombeiros e agentes penitenciários de Minas passarão a ter o segundo maior salário do país, atrás apenas do Distrito Federal. “Os salários pagos no Distrito Federal não servem como base, pois lá há repasse federal. Ou seja, o valor pago em Minas será acima da média nacional”, afirmou.

No momento em que Renata Vilhena apresentava os índices de reajuste à imprensa, na tarde de ontem, o secretário de Estado de Defesa Social, Lafayette Andrada, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Renato Vieira de Souza, e o chefe da Polícia Civil, delegado-geral Jairo Lellis Filho, estavam reunidos com representantes dos sindicatos e associações dos servidores envolvidos. “A proposta foi apresentada aos comandos das corporações, que estão repassando os números às categorias”, disse a secretária.

Para ela, a proposta será bem aceita pelos servidores do sistema de Defesa Social, evitando apossibilidade de greve da PM prevista para começar amanhã, quando militares farão nova assembleia em BH. “Um aumento desse, acredito que é um valor que jamais era esperado pela categoria. Nós estamos conseguindo atender a reivindicação salarial e sabemos que chegaremos ao final como o Estado com o melhor salário para as polícias.”

Para entender
Fonte: Seplag

Policiais militares, civis, bombeiros e agentes penitenciários terão o salário dobrado em quatro anos, conforme escala criada pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão:

7% em dezembro
10% em outubro de 2012
13% em agosto de 2013
15% em junho de 2014
12% em dezembro de 2014
15% em abril de 2015

A soma chega a 72%. Mas, ao final, com o reajuste de cada etapa incidindo sobre a outra, o piso inicial de todas as categorias passará de
R$ 2.041 para R$ 4 mil

Mostra transforma jovens de centros socioeducativos em artistas

A mostra “Impressões”, que permanece no auditório daEscola Guignard, em Belo Horizonte, até esta quarta-feira (16), surpreende o visitante pela diversidade de cores, formas e sentimentos. São óleos sobre telas, grafites, desenhos à mão livre e objetos em cerâmica confeccionados por cerca de 250 adolescentes que cumprem medida de internação em centros socioeducativos de Belo Horizonte e Região Metropolitana. A abertura da exposição aconteceu nessa segunda-feira (14), com performances teatrais, números de dança e um coquetel em que foram servidos bolos, pães e croissants preparados pelos próprios adolescentes.

As oficinas de teatro, grafite, pintura, dança e arte culinária, que originaram a mostra, são fruto do projeto “Arte e Expressão”, que nasceu de um convênio assinado entre a Subsecretaria de Atendimento às Medidas Socioeducativas (Suase) da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) e a Guignard em 2009. “Esta mostra é a prova da maturidade dessa iniciativa, tanto do ponto de vista estético, quanto da adesão dos adolescentes e da propriedade com que eles falam do assunto”, pontua o subsecretário de Atendimento às Medidas Socioeducativas, Ronaldo Araújo Pedron.

Desafio

Na avaliação do subsecretário o projeto, que será renovado por mais um ano, permite que habilidades sejam desenvolvidas, interesses se renovem e sentimentos, bons ou ruins, sejam canalizados. “Hoje, podemos dizer que a aposta que a Secretaria fez no viés da arte-educação foi acertada”.

A artista plástica Luana Mitre, coordenadora do projeto há um ano, se emociona ao percorrer as obras e relembrar as aulas, as falas dos jovens e todo o processo de construção dos trabalhos. Ela reconhece ter sido “desafiador” adaptar a filosofia da Guignard, calcada na liberdade de expressão, a esse público diferenciado.

De acordo com Luana, foi preciso muito cuidado na seleção dos educadores. Era preciso um carinho especial e um desejo de trabalhar com adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa. “Tem sido um aprendizado mútuo. O que mais vale a pena é a troca de experiências. Arte-educação é um processo onde o mais importante não é o produto final, mas sim a conquista da consciência crítica, da reflexão, do pensar sobre quem é você no mundo”, relata.

Descobertas

A adolescente L.S., de 16 anos, que cumpre medida no Centro Socioeducativo São Jerônimo, conta que está tentando descobrir do que gosta, para o que tem facilidade e o que a faz feliz. “Ainda não sei. Adoro dançar, estou mais solta. Antes eu ficava muito ‘na minha’, caladona. Agora me expresso melhor, estou mais calma, talvez mais perto de achar meu caminho”, conta.

Para outra adolescente, também de 16 anos, a decisão já está tomada. Ela conta que quer ser doceira profissional. A aptidão para os doces a menina descobriu durante as aulas de culinária, que confessa ter começado a fazer a contragosto. “Eu não queria. Achava que ia ser chato. Ia de cara fechada. Mas agora, estou adorando”, relembra.

Culinária

Já o jovem F.L, de 18 anos, relata que foi para a primeira aula com o professor Antônio Carlos, chamado de chef Nico, empolgado. Ele diz que sempre gostou dos “cheiros” que vinham da cozinha da mãe e, desde bem pequeno, ficava rondando, prestando atenção no que ela fazia quando estava às voltas com as panelas.

É o próprio professor que destaca que o jovem é um padeiro nato e até já está olhando emprego para ele. Nico elogia também C. M, 18 anos, que tem “mãos mágicas” para os temperos e molhos. E conta que I. B, de 17 anos, faz bolos e roscas como um veterano.

Como voluntário no ensino da profissão aos jovens, o professor conta que tem orgulho dos alunos. “Às vezes, quando algum está com vontade de contar sua história, paro tudo para ouvir. Não basta saber a técnica, é preciso que eles estejam equilibrados mentalmente, tenham boas noções de higiene e autoestima”, destaca.

Dança

Outro momento importante da abertura da mostra foi a apresentação da Dança Urbana. O professor Leandro Belilo conseguiu reunir no palco meninos e meninas em uma mesma coreografia, mesmo sem nunca terem ensaiado juntos. “Foi um desafio e tanto, mas valeu a pena. Os meninos estavam nervosos antes de entrar em cena, mas saíram com a autoestima lá em cima e isso é o que importa. Se a arte tiver o poder de mudar o quanto gostamos de nós mesmos, já cumprimos nosso objetivo”.

 

Novas oportunidades: Três detentas do Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto foram aprovadas no vestibular para o curso de Direito

Três detentas do Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto (PIEP), administrado pela Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), acabam de ser aprovadas no vestibular para o curso de Direito do Instituto Metodista Izabela Hendrix. Elas se prepararam durante oito meses com a ajuda de professores da própria escola da unidade prisional. Estefânia de Oliveira e Naiani Lima, respectivamente de 34 e 23 anos, conseguiram bolsas integrais graças ao convênio de parceria estabelecido entre a Seds e a instituição de ensino. Já Caroline de Aguiar, de 22 anos, terá seus estudos custeados pela própria família.

“Fiquei muito feliz, não acreditei! Eu esperava passar, só não pensei que ficaria  tão bem colocada.”, diz Estefânia, aprovada em 4º lugar, depois de ter interrompido os estudos por 10 anos. A detenta lembra que concorreu com pessoas que não estão privadas de liberdade, com chance de fazer cursinhos e acesso a diversificados recursos.

O bom resultado foi merecido. Naiani conta que elas tinham os materiais didáticos no alojamento – emprestados da própria biblioteca da unidade – e que estudavam todos os dias. Quando necessário, recorriam às professoras da escola, que tiravam suas dúvidas. Segundo ela, foi no presídio que o desejo de iniciar a graduação veio à tona. “Quando eu era mais nova eu tinha o sonho de fazer faculdade. Depois a vida foi seguindo outros caminhos e o sonho adormeceu. Ele foi ressuscitar aqui dentro”, diz a detenta, que, junto com as duas colegas, concluiu o Ensino Médio na prisão.

Como todo bom vestibulando, elas estavam muito nervosas no dia da prova. Para Naiani, além da tensão com o vestibular, havia a emoção de sair à rua sem uniforme e sem algemas. “A gente foi de calça jeans, blusa branca e tênis. Foi diferente, não teve aquele monte de olhar”. Ela afirma que a emoção de voltar a conviver com pessoas que não estão privadas de liberdade, não as faz esquecer que elas estão detidas em regime fechado, mas é uma motivação a mais para voltar a ser livre. “É um incentivo para querer fazer tudo certo, para voltar a viver em sociedade, de uma forma muito positiva, que é fazendo um curso, encaminhando o futuro”.

Preconceito

Detentas e ex-detentas têm que lidar com o preconceito das pessoas. Caroline diz que entende esse receio inicial e sabe que, mesmo as agentes penitenciárias indo escoltá-las sem uniforme, em algum momento os colegas de classe irão saber que ela é presidiária. Mas ela está segura de que vai saber administrar a situação e manter um bom relacionamento com eles.

Naiani também está consciente do preconceito que pode sofrer, mas concorda que tudo é uma questão de tempo. “Se no começo houver esse tipo de preconceito, depois, me conhecendo melhor, elas vão mudar esse pensamento, com certeza. Sou uma pessoa super tranquila”, afirma. Ela, inclusive,  conversou sobre isso com outras detentas que já estão na faculdade e ficou sabendo que muitas pessoas tinham curiosidade em saber como é a vida no presídio e surpreendiam-se positivamente, descobrindo que era melhor do que imaginavam.

Orgulho

As aprovadas estão empolgadas por se tornarem motivo de orgulho para as famílias. Estefânia conta que apesar de não conversar com o ex-marido desde que foi presa, ele manifestou satisfação com o resultado. “Ele disse à nossa filha ter ficado feliz e que quer que ela seja inteligente igual a mim. Achei legal ele ter me colocado como exemplo nessa situação, porque, até então, eu não era exemplo de nada”. Já Naiani pensa, principalmente, na mãe: “amenizou tudo o que a gente está vivendo desde que fui presa. Ter conseguido essa oportunidade deu um conforto. Ela já pode pensar no que eu vou fazer quando sair daqui. Ela tem bons sonhos para mim e eu também tenho bons planos”.

Para a diretora de Atendimento e Ressocialização da PIEP, Ana Cristina Cesário Corrêa, a ajuda da família e o estímulo para que as detentas continuem estudando é fundamental ao sucesso das candidatas e à sua ressocialização. “Quando elas saem para a faculdade é bom para o ego, elas se sentem pessoas de verdade, valorizadas”, afirma Ana Cristina.

Caroline, que sempre teve a faculdade como projeto de vida, concorda com a importância que é começar o curso superior no presídio. “Dá a sensação de que a vida não está parada, estamos dando sequência, porque conhecimento nunca é demais. Nós erramos, mas estamos dispostas a melhorar, a ressocializar, a crescer. É meta de crescimento intelectual e pessoal”, diz.

Mas o maior orgulho parece ser o que as detentas estão sentindo delas mesmas. Naiani conta que aproveita todas as oportunidades que aparecem na unidade, o que, para ela, é uma forma de mudar e preparar o futuro para voltar à sociedade. “Minha história é uma motivação para as pessoas que cometeram um erro tentarem buscar o melhor, virar a vida de alguma forma”, orgulha-se.

Estudo

Em Minas Gerais, 4040 detentos, entre homens e mulheres, cursam os ensinos Fundamental e Médio e outras sete pessoas estão frequentando a faculdade enquanto cumprem as penas.

Na PIEP, detentas de regime fechado ou aberto, desde que comprovem carência socioeconômica, podem se candidatar às bolsas integrais oferecidas pelo Instituto Metodista Izabela Hendrix, que mantém parceria com a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds).

De acordo com a diretora Ana Cristina, esse ano, outras cinco detentas concluíram o Ensino Médio no presídio e, provavelmente, irão tentar o vestibular no próximo semestre. “Para nós é gratificante, porque elas chegam aqui sem esperança, sem vontade para nada, e a gente está conseguindo que, a cada semestre, se formem mais pessoas”.

Política de Segurança de Aécio Neves ganha destaque no UOL Notícias

Vitrine de Aécio para 2010, sistema de segurança em Minas é inspirado em modelo de Nova York

Fonte: Fabiana Uchinaka – Enviada especial do UOL Notícias – Em Belo Horizonte

A arma do governador mineiro Aécio Neves para disputar espaço com velhos nomes do PSDB na disputa presidencial de 2010 claramente é a política de segurança pública do Estado. Ironicamente, o novo modelo adotado em Minas Gerais destaca-se por ter reduzido os índices de violência a patamares de dez anos trás.

Problemas como policiais civis insatisfeitos, superlotação nos presídios estudais, tráfico de drogas e crime organizadopersistem, mas em cinco anos o governo conseguiu reduzir homicídios, roubos, assaltos e estupros em 36%. Em Belo Horizonte, a queda foi de 52%, e nos 54 municípios da região metropolitana, de 51%.

Para garantir a vitrine eleitoral, Aécio investe pesado na área. De 2003, quando assumiu, até agora foram R$ 23,3 bilhões.

Na entrevista coletiva a seguir, o secretário estadual de Defesa Social, Maurício Campos Júnior, explicou as mudanças feitas no Estado para que os índices de criminalidade voltassem aos patamares de uma década atrás e disse que o sistema foi inspirado no modelo Compstat (em inglês, Comparative Statistics), que foi adotado em Nova York e baixou a criminalidade na cidade americana em 60%.

Leia mais em:  Uol Notícias dá destaque à eficiência da Política de Segurança de Aécio Neves em Minas Gerais

Grupo Vozes da Cela, do Presídio de São Lourenço, participará do Festival Internacional de Corais de Belo Horizonte

O Grupo Vozes da Cela, do Presídio de São Lourenço, participará nos dias 21, 22 e 27 de setembro do Festival Internacional de Corais de Belo Horizonte. Este ano, o evento homenageia o cinquentenário da morte do músico e compositor Heitor Villa Lobos.

Na programação, o grupo se apresentará no Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto, no Conservatório da Universidade de Minas Gerais (UFMG), na Casa de Ópera de Ouro Preto, no Palácio de Justiça e no Parque Municipal de Belo Horizonte. A entrada é franca.

Sobre o Coral

Criado em maio de 2008, como parte de um projeto de ressocialização da Escola Prisional de São Lourenço, o grupo, embora amador, possui um potencial de voz excelente, sendo cada vez mais aprimorada, pelo seu preparador vocal Tisso Montezzi.

Além do maestro-titular José Henrique Martins, o grupo conta com o apoio do tecladista e arranjador Pablo Teixeira.

Em dezembro de 2008, o Coral participou da mensagem de final de ano, A Festa é Sua, exibida pelo site da Rede Globo de Televisão. O grupo fez também a abertura solene do Canta Brasil, Festival Internacional de Corais de São Lourenço, edições 2008 e 2009, além de participar de eventos na cidade de São Lourenço e região.

O Vozes da Cela apresentou-se duas vezes em Belo Horizonte: na abertura da Conferência Nacional de Segurança Pública – Etapa MG, e na 31º Reunião Ordinária do Colégio Nacional de Secretários de Segurança Pública. O currículo do grupo também conta com apresentações para o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, e para o vice-governador do Estado de Minas Gerais, Antonio Anastasia.

O repertório vai do clássico ao popular levando, através da música, o sonho da liberdade e do reingresso à sociedade.

Serviço:

Apresentações do Grupo Vozes da Cela

Dia 21/09/09 – 14 horas: Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto *

Dia 21/09/09 – 19 horas: Conservatório da UFMG – Avenida Afonso Pena, nº 1534 – Centro – Belo Horizonte

Dia 22/09/09 – 20 horas: Casa da Ópera em Ouro Preto – Rua Brigadeiro Musqueira, s/nº – Centro – Ouro Preto – MG

Dia 27/09/09 – 09h30: Palácio da Justiça – Avenida Afonso Pena, nº 1420 – Centro – Belo Horizonte

Dia 27/09/09 – 13 horas: Encerramento no Parque Municipal – Avenida Afonso Pena, s/nº – Centro – Belo Horizonte