• setembro 2018
    S T Q Q S S D
    « set    
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
  • Categoria

  • Mais Acessados

  • Arquivo

  • Twitter Blog Aécio Neves

  • Anúncios

Aécio apresenta programa de governo no Facebook

Segundo Aécio, programa de Governo é resultado de um processo que envolveu especialistas em várias áreas e debate com a sociedade.

Coligação Muda Brasil

Fonte: Jogo do Poder

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda BrasilAécio Neves, destacou que seu programa de governo, que começa a ser apresentado nesta segunda-feira (29/09) pelo Facebook, é o resultado do trabalho conjunto. Segundo ele, um processo que envolveu especialistas em várias áreas e debate com a sociedade para a elaboração de propostas que serão colocadas em prática a partir do primeiro dia à frente do Palácio do Planalto, em 1º de janeiro de 2015.

“A nossa proposta, construída a muitas mãos – centenas de pessoas foram envolvidas nisso –, começa hoje a ser divulgada. Agora, eu vou fazer de uma forma diferente, inédita até, para que programa de governo não seja apenas um documento acadêmico onde poucos manuseiam, e a população não tenha ideia daquilo que ali está sendo tratado”, ressaltouAécio, durante vista a São Bernardo do Campo (SP).

Aécio afirmou que a premissa do programa de governo é a defesa das liberdades individuais e coletivas. Essa premissa é desdobrada em quatro eixos: direitos do cidadão e da sociedade; desenvolvimento para todos; Estado democrático, soberano, solidário e eficiente; e a sustentabilidade.

Debates

Aécio ressaltou que a sustentabilidade – eixo que será apresentado e debatido nesta segunda pelo coordenador da área, o ambientalista Fabio Feldmann – vai além da questão ambiental. “Passa pela questão urbana, pela questão da mobilidade, a integração de várias ações de governo”, explicou Aécio.

Na terça-feira (30/09), o debate no Facebook com o ex-governador de Minas Gerais Antônio Anastasia, candidato ao Senado pelo PSDB, tratará da questão do Estado democrático e eficiente. Já os eixos sobre a cidadania e o desenvolvimento econômico do país serão abordados em encontros pela rede social na quarta, quinta e sexta-feira – 1º, 2 e 3 de outubro, respectivamente.

“[Este] é um programa para ser aplicado. Ao contrário dos outros, que fazem um diagnóstico, que apresentam um conjunto de boas intenções, nós estamos falando de propostas exequíveis, de propostas que, a partir de 1º de janeiro, começarei a colocar em prática”, afirmou.

Aécio acrescentou que a decisão de apresentar o programa no Facebook tem o objetivo de democratizar a discussão. “A meu ver, é a forma mais democrática e mais honesta de se apresentar um programa dessa complexidade”, disse Aécio.

Anúncios

Pimenta da Veiga: Conheça os compromissos da nova gestão

Pimenta está percorrendo Minas, para ouvir as pessoas, sugestões e abriu um canal de participação para interagir com os mineiros.

Eleições 2014

Fonte: Site do candidato Pimenta da Veiga

Pimenta da Veiga está percorrendo cada canto de Minas para ouvir as pessoas e suas sugestões. E está abrindo um canal de participação via internet para que cada mineiro possa interagir com as suas propostas: o Ouvir Você.

Durante todo o mês de agosto, essas contribuições serão recebidas e avaliadas. E, em setembro, será lançado, oficialmente, o Plano de Governo.

A equipe de elaboração do Plano será coordenada pelo ex-ministro de Estado do Trabalho, ex-ministro do Planejamento e Orçamento no governo FHC e professor da Fundação Dom Cabral, Paulo Paiva, junto ao advogado e gestor público Thiago Bregunci e contará com uma rede de colaboradores e especialistas de áreas consideradas prioritárias, entre eles, professores, médicos, engenheiros e economistas.

Conheça abaixo os compromissos da nova gestão e as diretrizes do Plano de Governo.

COMPROMISSOS DA NOVA GESTÃO

O primeiro e principal compromisso do governo de Pimenta da Veiga em Minas Gerais será com os cidadãos. As ações do governo terão como objetivo principal promover o bem-estar das pessoas, que devem ser respeitadas e contempladas com políticas públicas que tornem nosso Estado uma terra de oportunidades.

O desenvolvimento almejado nos próximos anos possui três dimensões: crescimento econômico, inclusão social e sustentabilidade. Minas Gerais possui a terceira maior economia do país e precisa seguir progredindo, sempre com a preocupação de reduzir desigualdades para que mais pessoas participem dos avanços alcançados. Que o desenvolvimento gere oportunidades para todos os mineiros. A preocupação com o meio ambiente também é central, já que os recursos naturais abundantes precisam ser utilizados de maneira sustentável para que as futuras gerações também possam desfrutar dos mesmos.

Os verdadeiros propulsores para esse desenvolvimento são a Educação e a Infraestrutura. Depois dos importantes avanços educacionais nas administrações do PSDB em Minas Gerais, nos últimos anos, a educação será um dos pilares do próximo governo. Somente com um ensino de qualidade, poderemos dar às nossas crianças dignidade e chances para desenvolverem seus talentos.

Outro propulsor será a melhoria da infraestrutura. O Governo Estadual focará suas ações no aperfeiçoamento do sistema de logística, com apoio à mobilidade urbana. Tanto nas cidades quanto nas estradas, os cidadãos devem se deslocar em vias de qualidade. Com melhor infraestrutura, a economia mineira ficará mais competitiva e mais empregos serão criados.

O modelo de boa governança fortalecerá as políticas sociais, buscando integrar as ações com foco, por exemplo, na qualidade do atendimento à saúde e eficiência na segurança pública, duas áreas fundamentais para os cidadãos.

Os desafios são muitos e os avanços necessários. Pimenta da Veiga promete não poupar esforços para oferecer aos mineiros uma gestão transparente, responsável e ética, princípios que sempre o acompanharam em sua extensa vida pública.

DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO

Minas Gerais precisa avançar ainda mais. O principal desafio do desenvolvimento do Estado é a redução das suas desigualdades: diminuir o hiato entre o tamanho da economia (3ª no Brasil) e a distribuição dos frutos de sua riqueza (9ª no índice de IDH no Brasil), promover o desenvolvimento com inclusão, estimular o bem-estar da população e garanti-lo às gerações futuras.

A busca do desenvolvimento inclusivo e sustentável é a diretriz que norteará o programa do governo Pimenta da Veiga. Crescimento econômico com inclusão social e equilíbrio ambiental.

O programa de governo de Pimenta da Veiga, nos próximos quatro anos, será ancorado em um plano estratégico de longo prazo, o Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado, e nos compromissos com o desenvolvimento inclusivo e sustentável, visando aumentar a eficiência da economia e a redução das desigualdades. Estará alicerçado nos compromissos com a democracia e na consolidação da cidadania, ampliando os canais de diálogo com a sociedade e fortalecendo as instituições constituídas.

As políticas, os programas e projetos dos quatro anos de governo estarão alinhados com essa visão de longo prazo: um Estado próspero e justo; um Estado onde as oportunidades estejam disponíveis igualmente para todos seus cidadãos; um Estado onde crescimento econômico, inclusão social e preservação ambiental andem juntos. Estes serão construídos com processos de participação eficiente e efetiva, especialmente com uso de novas tecnologias de informação e comunicação.

As riquezas de Minas Gerais estão em seus infindáveis recursos naturais, em uma estrutura produtiva robusta e no enorme potencial de seus recursos humanos. Alavancar essas riquezas, tarefa fundamental do Estado, eleva o bem-estar de todas as pessoas.

O governo Pimenta da Veiga se compromete e irá executar políticas públicas visando dotar a população mineira de crescente capital humano, condição necessária para a redução da pobreza e das desigualdades e para o aumento da produtividade e da competitividade, isto é, do crescimento econômico.

A educação será o principal pilar da política de desenvolvimento inclusivo e sustentável do governo. Marca de sucesso na administração do PSDB nos últimos 12 anos, a orientação será melhorar ainda mais a qualidade do ensino, refletida nos indicadores de proficiência dos alunos, ampliar a inclusão das crianças na pré-escola, em parceria com os municípios, e desenvolver um abrangente programa de educação profissional em parceria com outros agentes. Atenção muito especial será dada à qualidade das escolas públicas localizadas em áreas de grande vulnerabilidade social e à expansão das escolas em tempo integral.

Alinhados com a educação, serão estimulados o progresso tecnológico e a inovação.

Inovação e eficiência serão as marcas das políticas públicas na educação.

Infraestrutura será o outro pilar da política de desenvolvimento inclusivo e sustentável.

O Governo Estadual focará suas ações referentes a infraestrutura na melhoria do sistema de logística e no apoio à melhoria da mobilidade urbana. No sistema rodoviário estadual, as gestões do PSDB fizeram avanços extraordinários com a execução do Programa ProAcesso, que garantiu a ligação, por rodovia pavimentada, de todos os municípios mineiros. O desafio agora será pavimentar os trechos que conectam os eixos relevantes da malha rodoviária do Estado.

Será dada prioridade à construção de anéis rodoviários nas principais cidades do Estado, visando retirar das vias urbanas o tráfego intermunicipal, aumentando vigorosamente a segurança no tráfego e reduzindo o tempo de deslocamento urbano e rodoviário no Estado. Será consolidado o projeto que transforma o aeroporto internacional Tancredo Neves, em Confins, em um polo de desenvolvimento regional no Estado. Para além dos pilares citados anteriormente, terão destaque outras prioridades.

Na área da saúde, o Governo Estadual terá papel preponderante na coordenação das ações do SUS e sua política de saúde dará importância às ações de prevenção e de expansão das redes materno-infantil, de hipertensão e diabetes, de atenção ao idoso e de urgência e emergência.

Qualidade no atendimento ao usuário do SUS será a marca das políticas públicas na saúde.

Com o objetivo de dar tranquilidade à população e de desenvolver um ambiente próspero aos cidadãos mineiros, estará entre as prioridades a segurança pública. Com maior investimento em inteligência e integração das atividades policiais e expansão das políticas de prevenção, o governo irá reduzir os índices de criminalidade e ampliar a sensação de segurança nas cidades mineiras.

O desenvolvimento inclusivo e sustentável buscará o equilíbrio entre suas dimensões econômica, social e ambiental. Ênfase será dada à incorporação de novas tecnologias e de inovação, tanto para aprofundar a verticalização da indústria e do agronegócio, agregando valor aos seus produtos, quanto para aumentar a produtividade das atividades dos setores de serviços.

O empreendedorismo será estimulado, bem como serão apoiadas as micro e pequenas empresas, principal fonte de emprego e acesso à renda no Estado, tendo como referência a nova economia.

Na área de meio ambiente, será dada atenção especial a programas de eficiência energética e uso da água, ampliação do saneamento das bacias hidrográficas estaduais e de conservação dos parques estaduais.

Na área da cultura, serão desenvolvidas políticas de preservação do patrimônio cultural deMinas Gerais, ações de fomento à economia criativa, especialmente ligada à gastronomia e à música, além de incentivos às iniciativas culturais no interior do Estado.

As políticas de enfrentamento das vulnerabilidades sociais e garantia das liberdades individuais estarão sempre buscando um alinhamento com programas e ações nos âmbitos Federal e Municipal. Tornar eficaz o papel do Governo Estadual na rede de proteção social será a estratégia para assegurar a dignidade dos cidadãos mineiros.

Em síntese, apoiado no seu compromisso fundamental com as pessoas, Pimenta da Veigapretende aproximar o governo dos cidadãos e contribuir para a prosperidade e a equidade em Minas Gerais, transformando-a em uma terra de oportunidades permanentes para todos os mineiros.

Eleições: Aécio apresenta integrantes da equipe que fará plano de governo

Aécio fará nesta sexta-feira mais um anúncio de integrantes da equipe que irá elaborar documento que norteará programa de governo.

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Aécio apresenta parte da equipe que fará seu plano de governo

Candidato tucano vai anunciar nomes das áreas de educação e segurança pública

A duas semanas do prazo final para entregar à Justiça Eleitoral um plano de governo, o candidato do PSDB à Presidência da República, senador Aécio Neves, fará nesta sexta-feira no Rio mais um anúncio de integrantes da equipe responsável por elaborar o documento. Desta vez serão apresentados, entre outros, os escalados para duas áreas de forte apelo eleitoral: educação e segurança pública. Quem coordenará a educação será a ex-secretária de Educação de São Paulo Maria Helena Guimarães. Para a segurança, será confirmado o sociólogo e professor da Universidade Federal de Minas Gerais Claudio Beato.

legislação eleitoral exige que os candidatos apresentem no ato do registro de candidaturas os respectivos programas de governo. Segundo o TSE, o prazo para o cumprimento da formalidade é 5 de julho.

Apesar de os trabalhos de construção do programa de governo estarem acontecendo há algumas semanas, oficialmente somente foram anunciados por Aécio o coordenador geral da equipe, Antonio Anastasia, e o coordenador da área ambiental, Fábio Feldman, em maio, em São Paulo.

Embora ainda em formatação, alguns pilares desse plano estão definidos. Na economia, por exemplo, o controle da inflação é um dos pontos centrais. Entretanto, por enquanto, poucos detalhes há sobre as medidas para isso. O grupo que está responsável pelas propostas para a economia tem como principal nome o ex-presidente do Banco CentralArmínio Fraga. Na área social, o destaque será o compromisso com a manutenção dos programas sociais do governo do PT, para fazer frente às acusações de que o PSDB governa apenas para as elites.

programa de governo do PSDB será feito em duas etapas. A primeira será concluída em até 15 dias com a apresentação de um esboço do plano. Esse documento será feito por Anastasia, que tem recebido dados de grupos setoriais. Depois de julho, será a economista e ex-diretora-executiva da Vale do Rio Doce Carla Grasso quem assumirá a rotina dos trabalhos para que Anastasia, candidato ao Senado por Minas Gerais, possa se dedicar à própria campanha. Grasso também está entre os auxiliares a serem apresentados por Aécio no Rio.

Na segunda fase, a campanha promete detalhar as propostas para as diversas áreas (economia, saúde, educação, segurança pública, meio ambiente, energia, agronegócio, infraestrutura, entre outros) e divulgá-las até setembro. A equipe de Aécio diz que não vai cometer o erro das candidaturas de 2010, que apresentaram ao Tribunal Superior Eleitoralesboços superficiais de planos de governo e foram duramente criticadas por isso.

Eleições 2014: Programa de Aécio dará ênfase a questões sociais

2014: Aécio reuniu colaboradores que estão discutindo cerca de 35 temas para o plano. São acadêmicos e especialistas divididos em 8 grupos.

A coordenação dos trabalhos está a cargo do ex-governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB).

Fonte: Valor Econômico

Programa de Aécio terá eixo social

plano de governo que senador e pré-candidato à Presidência Aécio Neves (PSDB-MG) pretende apresentar daqui a um mês dará ênfase a questões sociais. É uma área que o PT, da presidente Dilma Rousseff, sempre usou como uma de suas principais marcas.

Aécio reuniu colaboradores que estão discutindo cerca de 35 temas para o plano. São acadêmicos e especialistas que estão divididos em oito grupos. A coordenação dos trabalhos está a cargo do ex-governador de Minas GeraisAntonio Anastasia (PSDB).

“O senador Aécio Neves me deu uma recomendação muito firme, a coluna vertebral é a preocupação com as pessoas, com as políticas sociais”, disse Anastasia ao Valor Pro, serviço de informações em tempo real do Valor.

Sob acusações do PT de que haverá uma reversão nas políticas sociais se o PSDB voltar ao poder, Aécio avançou no Congresso projeto sobre o Bolsa Família e também já disse ser favorável à atual regra de reajuste do salário mínimo, que agrada à base sindical. Uma das mensagens que os tucanos pretendem levar ao eleitor – e que aparecerá no plano – é que Aécio tem a mesma sensibilidade e compromisso sociais atribuídos ao PT.

Anastasia explica a estratégia dizendo que quando governador de Minas (2003 a 2010), Aécio adotou uma série de programas sociais exitosos. Programas que, segundo ele, “são muito positivos e que demonstram que não é do PT o monopólio das questões sociais”.

A campanha de Aécio ainda busca burilar iniciativas de outros governos estaduais do PSDB, das que estão em vigor hoje e também as que foram adotadas no governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), disse Anastasia.

Aécio Neves cercou-se de vários ex-integrantes do governo FHC. Entre eles, Armínio Fraga (ex-presidente do Banco Central), José Roberto Mendonça de Barros (ex-secretário de Política Econômica), além de Edmar Bacha (um dos construtores do Plano Real). Os ex-ministros Barjas Negri (Saúde), José Carlos Carvalho (Meio Ambiente), Xico Graziano(chefe do gabinete de FHC), Rubens Barbosa (Relações Exteriores), também trabalham pela candidatura de Aécio.

A equipe é constituída também por economistas e acadêmicos de uma geração mais nova, entre os quais Mansueto Almeida (Ipea) e Samuel Pessôa (FGV), Cláudio Beato Filho (UFMG), André Medici (ex-BID). É uma receita que Aécio adotou nas disputas em Minas.

Anastasia não vê no plano de Aécio um resgate direto de políticas do governo FHC. “Naturalmente, as políticas que foram do governo FHC são positivas”, disse. “A maioria delas foi incorporada pelo PT, o grosso da política econômica, a política que deu origem ao Bolsa Família. Então há continuidade.”

Perguntado se o plano deve mencionar a necessidade de uma nova fase de privatizações, uma das marcas da gestão FHCAnastasia diz que aquele modelo ficou para trás. Nas últimas eleições presidenciais, o PSDB evitou uma defesa clara das privatizações – sempre criticadas pelo PT. “A privatização foi um movimento daquele momento”, disse, acrescentando que a melhoria da infraestrutura exige investimentos gigantescos que os tesouros federal, estaduais e municipais não suportam.

“Por isso a importância de melhorar as agências reguladoras, para que haja também a participação do setor privado nessa nova visão de desenvolvimento de infraestrutura. O quadro de hoje não é o da década de 90. Os anos se passaram e agora temos esses novos instrumentos”, diz.

Anastasia, que era vice de Aécio, foi eleito e no mês passado deixou o cargo para disputar o Senado. Ele aparece como favorito. Entre lideranças do PSDB mineiro, é visto como futuro ministro-chefe da Casa Civil de Aécio – uma ‘aberração’ na definição de Anastasia.

O plano de governo de Aécio está sendo construído com base em 30 temas. Segundo o ex-governador, esses assuntos são divididos em oito grupos, onde se prepara diagnósticos para as áreas de educação, saúde, segurança, saneamento, recursos hídricos, participação cidadã e transparênciacombate à pobreza, questões relativas à sustentabilidade e ao meio ambiente, turismo, transporte, econômico, social, relações internacionais, defesa nacional, práticas eficientes de gestão, previdência entre outras. O coordenador dos trabalhos diz que não revela nomes dos que ainda não foram mencionados por Aécio.

ex-jogador Ronaldo que já manifestou apoio à candidatura do tucano talvez venha a contribuir com o plano: “É uma personalidade do esporte, do futebol, e certamente poderá ser ouvido.”

Os colaboradores que integram esses grupos estão concentrados em MinasRio e São Paulo, embora haja participantes de outros Estados. No documento não deve haver menção a metas específicas de inflação, câmbio, carga tributária, superávit primário, tampouco onde Aécio pretende fazer cortes de gastos caso eleito, diz Anastasia.

“O que vamos ter no plano são a concepção, os princípios e os programas e, vencida a eleição, vamos objetivar no caso concreto”, disse. Durante a campanha, Aécio vai apresentar projetos específicos.

Aécio já falou em reduzir o número de ministérios (hoje são 39) à metade, mirar um superávit primário de 3% (a meta deste ano é 1,9%). Armínio já defendeu a inflação ao centro da meta, 4,5%, para depois reduzi-la.

Anastasia diz que foi formado também um grupo com ex-integrantes do governo FHC que estão se dedicando à política industrial. Recentemente, representantes dos fabricantes de máquinas e equipamentos criticaram declarações de Aécio e Armínio ao Valor no qual ambos apontaram exageros e erros nos programas federais de subsídios a setores daeconomia.

Mas o objetivo, insiste ele, é que o plano não seja uma leitura restrita a economistas, acadêmicos e empresários. “O plano de governo vai se centrar nas questões relativas à preocupação imediata das pessoas. Saúde, segurança, educaçãocombate à pobreza, temas que dizem com mais direção às pessoas”, disse Anastasia.

inflação – que vinha numa toada de aceleração – estará entre esses temas mais sensíveis. “A manutenção do valor da moeda é um princípio que estará lá aplaudido. A questão do custo de vida é tema de preocupação imediata que afeta as pessoas em seu dia a dia e deve ser discutido, mas ainda não está formatado.”

Anastasia, no entanto, não vê a inflação como o tema que vai aquecer o debate eleitoral este ano. O debate, para ele, será afunilado na segurança pública.

Essa é uma área sobre a qual Aécio já se pôs num campo distinto do de Dilma e do pré-candidato do PSBEduardo Campos: a maioridade penal. Ele apoia um projeto do senador por São Paulo Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) que dá a possibilidade de o juiz condenar jovens a partir dos 16 anos que cometem crimes graves a penas tão longas quanto a de maiores de idade.

“Não vou antecipar nada porque ainda estamos redigindo. Mas o núcleo duro na questão é o combate à impunidade. A impunidade é a raiz. A polícia se desestimula, a sociedade se revolta. E aí começa a justiça com as próprias mãos”, diz.

O grupo de Aécio defende mudança de legislação. “Há de haver uma reforma legislativa”, diz Anastasia. Para mudar o quê? “Tornar o processo mais objetivo. Há muita discussão sobre o papel do inquérito. Temos grandes nomes que podem contribuir.”

Um potencial alvo das mudanças é uma lei federal de 2011 que, nas palavras do político mineiro, deu certa fragilidade às instituições policiais. Refere-se à Lei 12.403: “Trata do processo penal que não prende as pessoas em determinadas circunstâncias e facilita um pouco a impunidade.”

Anastasia recusa a ideia de que Aécio será um candidato para agradar setores conservadores. “Em primeiro lugar, a preocupação que ele me dirigiu e eu tenho repetido isso a todos é a preocupação com as pessoas, principalmente com os mais desfavorecidos”.

Plano de governo de Aécio dará destaque a questões sociais

2014: Aécio reuniu colaboradores que estão discutindo cerca de 35 temas para o plano. São acadêmicos e especialistas divididos em 8 grupos.

A coordenação dos trabalhos está a cargo do ex-governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB).

Fonte: Valor Econômico

Programa de Aécio terá eixo social

plano de governo que senador e pré-candidato à Presidência Aécio Neves (PSDB-MG) pretende apresentar daqui a um mês dará ênfase a questões sociais. É uma área que o PT, da presidente Dilma Rousseff, sempre usou como uma de suas principais marcas.

Aécio reuniu colaboradores que estão discutindo cerca de 35 temas para o plano. São acadêmicos e especialistas que estão divididos em oito grupos. A coordenação dos trabalhos está a cargo do ex-governador de Minas GeraisAntonio Anastasia (PSDB).

“O senador Aécio Neves me deu uma recomendação muito firme, a coluna vertebral é a preocupação com as pessoas, com as políticas sociais”, disse Anastasia ao Valor Pro, serviço de informações em tempo real do Valor.

Sob acusações do PT de que haverá uma reversão nas políticas sociais se o PSDB voltar ao poder, Aécio avançou no Congresso projeto sobre o Bolsa Família e também já disse ser favorável à atual regra de reajuste do salário mínimo, que agrada à base sindical. Uma das mensagens que os tucanos pretendem levar ao eleitor – e que aparecerá no plano – é que Aécio tem a mesma sensibilidade e compromisso sociais atribuídos ao PT.

Anastasia explica a estratégia dizendo que quando governador de Minas (2003 a 2010), Aécio adotou uma série de programas sociais exitosos. Programas que, segundo ele, “são muito positivos e que demonstram que não é do PT o monopólio das questões sociais”.

A campanha de Aécio ainda busca burilar iniciativas de outros governos estaduais do PSDB, das que estão em vigor hoje e também as que foram adotadas no governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), disse Anastasia.

Aécio Neves cercou-se de vários ex-integrantes do governo FHC. Entre eles, Armínio Fraga (ex-presidente do Banco Central), José Roberto Mendonça de Barros (ex-secretário de Política Econômica), além de Edmar Bacha (um dos construtores do Plano Real). Os ex-ministros Barjas Negri (Saúde), José Carlos Carvalho (Meio Ambiente), Xico Graziano(chefe do gabinete de FHC), Rubens Barbosa (Relações Exteriores), também trabalham pela candidatura de Aécio.

A equipe é constituída também por economistas e acadêmicos de uma geração mais nova, entre os quais Mansueto Almeida (Ipea) e Samuel Pessôa (FGV), Cláudio Beato Filho (UFMG), André Medici (ex-BID). É uma receita que Aécio adotou nas disputas em Minas.

Anastasia não vê no plano de Aécio um resgate direto de políticas do governo FHC. “Naturalmente, as políticas que foram do governo FHC são positivas”, disse. “A maioria delas foi incorporada pelo PT, o grosso da política econômica, a política que deu origem ao Bolsa Família. Então há continuidade.”

Perguntado se o plano deve mencionar a necessidade de uma nova fase de privatizações, uma das marcas da gestão FHCAnastasia diz que aquele modelo ficou para trás. Nas últimas eleições presidenciais, o PSDB evitou uma defesa clara das privatizações – sempre criticadas pelo PT. “A privatização foi um movimento daquele momento”, disse, acrescentando que a melhoria da infraestrutura exige investimentos gigantescos que os tesouros federal, estaduais e municipais não suportam.

“Por isso a importância de melhorar as agências reguladoras, para que haja também a participação do setor privado nessa nova visão de desenvolvimento de infraestrutura. O quadro de hoje não é o da década de 90. Os anos se passaram e agora temos esses novos instrumentos”, diz.

Anastasia, que era vice de Aécio, foi eleito e no mês passado deixou o cargo para disputar o Senado. Ele aparece como favorito. Entre lideranças do PSDB mineiro, é visto como futuro ministro-chefe da Casa Civil de Aécio – uma ‘aberração’ na definição de Anastasia.

O plano de governo de Aécio está sendo construído com base em 30 temas. Segundo o ex-governador, esses assuntos são divididos em oito grupos, onde se prepara diagnósticos para as áreas de educação, saúde, segurança, saneamento, recursos hídricos, participação cidadã e transparênciacombate à pobreza, questões relativas à sustentabilidade e ao meio ambiente, turismo, transporte, econômico, social, relações internacionais, defesa nacional, práticas eficientes de gestão, previdência entre outras. O coordenador dos trabalhos diz que não revela nomes dos que ainda não foram mencionados por Aécio.

ex-jogador Ronaldo que já manifestou apoio à candidatura do tucano talvez venha a contribuir com o plano: “É uma personalidade do esporte, do futebol, e certamente poderá ser ouvido.”

Os colaboradores que integram esses grupos estão concentrados em MinasRio e São Paulo, embora haja participantes de outros Estados. No documento não deve haver menção a metas específicas de inflação, câmbio, carga tributária, superávit primário, tampouco onde Aécio pretende fazer cortes de gastos caso eleito, diz Anastasia.

“O que vamos ter no plano são a concepção, os princípios e os programas e, vencida a eleição, vamos objetivar no caso concreto”, disse. Durante a campanha, Aécio vai apresentar projetos específicos.

Aécio já falou em reduzir o número de ministérios (hoje são 39) à metade, mirar um superávit primário de 3% (a meta deste ano é 1,9%). Armínio já defendeu a inflação ao centro da meta, 4,5%, para depois reduzi-la.

Anastasia diz que foi formado também um grupo com ex-integrantes do governo FHC que estão se dedicando à política industrial. Recentemente, representantes dos fabricantes de máquinas e equipamentos criticaram declarações de Aécio e Armínio ao Valor no qual ambos apontaram exageros e erros nos programas federais de subsídios a setores daeconomia.

Mas o objetivo, insiste ele, é que o plano não seja uma leitura restrita a economistas, acadêmicos e empresários. “O plano de governo vai se centrar nas questões relativas à preocupação imediata das pessoas. Saúde, segurança, educaçãocombate à pobreza, temas que dizem com mais direção às pessoas”, disse Anastasia.

inflação – que vinha numa toada de aceleração – estará entre esses temas mais sensíveis. “A manutenção do valor da moeda é um princípio que estará lá aplaudido. A questão do custo de vida é tema de preocupação imediata que afeta as pessoas em seu dia a dia e deve ser discutido, mas ainda não está formatado.”

Anastasia, no entanto, não vê a inflação como o tema que vai aquecer o debate eleitoral este ano. O debate, para ele, será afunilado na segurança pública.

Essa é uma área sobre a qual Aécio já se pôs num campo distinto do de Dilma e do pré-candidato do PSBEduardo Campos: a maioridade penal. Ele apoia um projeto do senador por São Paulo Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) que dá a possibilidade de o juiz condenar jovens a partir dos 16 anos que cometem crimes graves a penas tão longas quanto a de maiores de idade.

“Não vou antecipar nada porque ainda estamos redigindo. Mas o núcleo duro na questão é o combate à impunidade. A impunidade é a raiz. A polícia se desestimula, a sociedade se revolta. E aí começa a justiça com as próprias mãos”, diz.

O grupo de Aécio defende mudança de legislação. “Há de haver uma reforma legislativa”, diz Anastasia. Para mudar o quê? “Tornar o processo mais objetivo. Há muita discussão sobre o papel do inquérito. Temos grandes nomes que podem contribuir.”

Um potencial alvo das mudanças é uma lei federal de 2011 que, nas palavras do político mineiro, deu certa fragilidade às instituições policiais. Refere-se à Lei 12.403: “Trata do processo penal que não prende as pessoas em determinadas circunstâncias e facilita um pouco a impunidade.”

Anastasia recusa a ideia de que Aécio será um candidato para agradar setores conservadores. “Em primeiro lugar, a preocupação que ele me dirigiu e eu tenho repetido isso a todos é a preocupação com as pessoas, principalmente com os mais desfavorecidos”.

Em Guaxupé, Anastasia diz que vai reforçar ações de Governo para combater falta de política nacional para o café

Antonio Anastasia afirma que reforçará ações do Estado para diminuir efeitos negativos da falta de uma política nacional para o café

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Em Guaxupé, no Sul de Minas, governador afirmou que estão em seu Plano de Governo a criação do Pró-Café e do Fundo Estadual do Café

O governador Antonio Anastasia afirmou nesta terça-feira (14/09), em Guaxupé (Sul de Minas), que, reeleito, pretende adotar uma política estadual de apoio à cafeicultura para diminuir os efeitos negativos provocados pela falta de compromisso do governo federal com a garantia de preço mínimo para cobertura dos custos de produção e a falta de política eficiente de renegociação das dívidas. Em seu Plano de Governo, lançado na última semana, Anastasia propõe a criação do Fundo Estadual do Café e do programa Pró-Café, que irá coordenar todas as ações do governo para no setor.

“Assumi o compromisso como governador do Estado de comandar a política estadual do café, do qual o fundo será um dos instrumentos, juntamente com o programa Pró-Café, que coordenará todas as ações do governo em relação ao café. O fundo será feito para ajudar especialmente aos médios e pequenos cafeicultores na questão relativa às garantias e ao seguro, de modo que o Tesouro do Estado também participe, junto com a política econômica nacional, que é a grande responsável, para alavancar cada vez mais a produção de café em Minas”, disse Antonio Anastasia.

Minas Gerais é o maior produtor nacional de café. A safra deste ano está estimada em 24,4 milhões de sacas. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o crescimento será de 24,7% em relação ao ano passado. O Estado também é o maior exportador de café do país. Nos sete primeiros meses do ano, as vendas de café de Minas Gerais para o exterior geraram US$ 1,8 billhão. O crescimento foi 21,3% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria de Comércio Exterior (MDIC).

Nos últimos anos, os produtores de café do país vêm encontrando dificuldades junto ao governo federal para renegociar as dívidas e criar uma política eficiente para a cafeicultura nacional. Em março de 2009, milhares de produtores participaram da Marcha do Café, em Varginha, no Sul do Estado, para chamar a atenção do governo federal sobre os problemas do setor.

Ao lado do ex-governador Aécio Neves, candidato ao Senado, Anastasia, candidato à reeleição, foi aplaudido por produtores de café da região. O município de Guaxupé é sede de uma das maiores cooperativas de café do mundo. A Cooxupé conta com 11 mil cooperados e recebe café de 100 produtores de municípios do Sul de Minas, Alto Paranaíba e do Estado de São Paulo.

Apoio da população e de prefeitos
Antonio Anastasia e Aécio Neves foram recebidos com festa no aeroporto de Guaxupé. Cerca de 250 pessoas esperavam pelos candidatos, entre prefeitos, produtores rurais e lideranças políticas da região.

Dezenas de carros acompanharam os candidatos em carreata pelas ruas da cidade, passando pela Praça da Saudade e seguindo até a avenida Conde Ribeiro do Valle, onde os candidatos iniciaram uma caminhada. Cerca de 500 pessoas acompanharam Anastasia e Aécio, que cumprimentaram e tiraram fotos com comerciantes e eleitores. No caminho, eles pararam na Pastelaria do Getúlio para tomar um cafezinho.

Prefeitos da região foram até Guaxupé prestigiar a visita do governador e manifestar o apoio à sua reeleição. O prefeito de Delfinópolis, José Geraldo Martins (PSDB), destacou que as ações do Governo nos últimos oito anos beneficiaram todo o Estado e foi um marco do desenvolvimento de Minas.

“Votar em Anastasia é dar continuidade ao excelente trabalho do ex-governador Aécio Neves. Votar em Anastasia é o que temos de melhor nos últimos anos, da melhor política do Estado de Minas Gerais. Votar em Anastasia é sinal de progressos para todos mineiros. O governador Anastasia será eleito e vai fazer um governo tão bom ou melhor que o do Aécio Neves”, declarou.

O prefeito de Itamogi, Janoario Arantes (DEM), destacou as obras realizadas na gestão Aécio/Anastasia. Ele afirmou que nunca o município recebeu tanta atenção de um governo do Estado.

“Itamogi é uma cidade com pouco mais de 12 mil habitantes. Estamos fazendo doze obras, só neste ano e meio de administração nossa. Isso por conta da ajuda do Anastasia e, claro, também do Aécio Neves, que era o governador. Isso vai melhorar muito a vida social na minha cidade”, afirmou.

Anastasia implementará programa de proteção ao patrimônio cultural; conheça as ações do Plano de Governo

Anastasia irá implementará programa especial de proteção ao patrimônio cultural das cidades históricas mineiras

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Ao lado de Aécio Neves e Itamar Franco, Anastasia foi recebido com muita festa pelos moradores de São João del Rei na manhã deste sábado

O governador Antonio Anastasia afirmou neste sábado (11/09) que, reeleito, irá colocar em prática o Programa Especial de Proteção do Patrimônio das cidades históricas mineiras. A proposta faz parte do seu Plano de Governo, lançado nesta semana e que conta com 365 propostas para melhorar os indicadores sociais, qualidade de vida dos mineiros e a geração de empregos de qualidade. A afirmação foi feita durante a festa preparada pelos moradores de São João Del Rei para receber Anastasia e os candidatos ao Senado pela Coligação “Somos Minas Gerais”, o ex-governador Aécio Neves e o ex-presidente Itamar Franco.

O governador explicou que, além de criar um inovador programa de proteção ao patrimônio, seu Plano de Governo apresenta novas propostas para potencializar o turismo nas cidades históricas de Minas Gerais. Segundo ele, é preciso preparar as cidades históricas para aproveitarem as oportunidades turísticas da Copa do Mundo de 2014.

“Vamos continuar intensificando os contatos com as pessoas, as lideranças, as viagens ao interior. Estamos propondo criar um novo programa de proteção ao patrimônio, vinculado ao turismo, aproveitando a oportunidade da Copa de 2014. Teremos, portanto, em parceria sempre com o Iphan, prefeituras, setor privado e com a sociedade civil, uma recuperação, uma identificação do patrimônio, já que metade do patrimônio histórico brasileiro está em Minas. E temos de potencializar esse patrimônio com a questão do turismo e da cultura”, afirmou o governador.

O Programa Especial de Proteção do Patrimônio Histórico de Minas Gerais, proposto por Anastasia em seu Plano de Governo, é voltado para segurança e revitalização das cidades históricas mineiras. Entre os compromissos está a implantação de uma unidade do Corpo de Bombeiros com brigadas de incêndio em todas as cidades históricas; criação de unidades preventivas da Polícia Militar em parceria com guardas municipais para combater ação predatória aos bens tombados; e melhora do acondicionamento e guarda dos objetos de arte de museus e igrejas, entre outras medidas.

Festa nas ruas históricas
Anastasia, Aécio e Itamar chegaram a São João Del Rei sob aplausos de centenas de moradores, prefeitos da região, lideranças políticas e sociais que foram ao aeroporto recepcioná-los. Eles seguiram para o Centro da cidade numa grande e animada carreata em apoio à candidatura à reeleição de Antonio Anastasia. Cerca de 200 carros acompanharam a caravana que percorreu várias ruas da cidade chamando à atenção de todos os são-joanenses.

Um grande foguetório anunciou a chegada dos candidatos à cidade. A carreata percorreu as avenidas 31 de Março e Leite de Castro. Por onde passavam, os candidatos eram saudados pelos populares que foram para as calçadas acenar aos candidatos. Muitas faixas foram instaladas no caminho manifestando o apoio dos moradores à eleição de Anastasia, Aécio e Itamar. Alguns eleitores foram para a calçada com bandeiras de Minas Gerais.

População entusiasmada
Na avenida Tancredo Neves, os candidatos desceram do carro e iniciaram caminhada com os eleitores. Uma multidão tomou conta do centro comercial de São João del Rei para acompanhar  Anastasia, Aécio e Itamar. Os candidatos entraram em várias lojas e conversaram com comerciantes. Em seguida, tomaram cafezinho na Casa do Pão.

Emocionado com o carinho recebido dos eleitores, o ex-governador Aécio Neves afirmou que visitar São João del Rei é sempre um momento especial. Ele destacou o crescimento das intenções de voto em Anastasia, apontado por pesquisas eleitorais.

“Hoje para mim é um dia muito especial, porque estou podendo comemorar o avanço do governador Anastasia nas minhas origens, na minha terra, no meu chão, onde tudo começou. Se avancei na vida pública, se consegui construir um caminho e ajudar as pessoas, devo sempre a este chão sagrado de São João del Rei, que me lançou para o Brasil, mas que sempre é minha referência, minha inspiração e é aqui sempre que eu venho buscar a energia para novas caminhadas”, disse o ex-governador.

Do Centro, os candidatos entraram novamente nos carros para dar continuidade à carreata por alguns bairros da cidade. No caminho, Anastasia, Aécio e Itamar pararam para cumprimentar a dona Maria Josina Neves de Resende, irmã de Tancredo Neves. No bairro Bonfim, eles foram saudados por centenas de eleitores e foguetório. De lá, a carreata seguiu para o bairro Matozinhos, onde os candidatos visitaram a Igreja Senhor do Bom Jesus de Matozinhos, onde foram recebidos pelo padre José Raimundo.

A dona de casa Natália Franco afirmou que votará em Antonio Anastasia em razão dos importantes investimentos realizados para a saúde dos mineiros. “Vou votar no Anastasia para dar continuidade ao trabalho do Aécio, que foi muito bom para Minas Gerais. Na saúde, ele construiu vários postos de saúde que foram muito bons para a população”, afirmou.

O aposentado João Batista destacou que Anastasia desempenhou papel importante ao lado de Aécio Neves no desenvolvimento dos municípios mineiros. “Voto no Anastasia porque ele foi o braço direito do Aécio. Ele fez muitas coisas boas para a região. Acho que de terem arrumado o nosso aeroporto, já foi bom demais para a região”, disse.

União de prefeitos de vários partidos
Em São João del Rei, o governador Antonio Anastasia recebeu o apoio de prefeitos da região do Campo das Vertentes de vários partidos, incluindo o PMDB, partido pertencente a outra coligação.

“Desde o início fui bem claro, sou do PMDB, mas apoio Aécio e Anastasia pelo fato de estar nos ajudando, dando apoio sem distinção, sem sigla partidária. Isso é uma coisa que gostei demais, porque nunca houve isso. Sempre privilegiavam pessoas do partido e ele não. Ele está ajudando a quem quer que seja, então por isso apoio Anastasia”, disse o prefeito de Conceição da Barra de Minas, Cornélio de Paiva (PMDB).

Também peemedebista, o prefeito de Madre de Deus de Minas, João Eustásio, o “Tasinho”, afirmou que os mineiros devem optar por Anastasia, pois é o candidato que tem maior conhecimento sobre os problemas dos mineiros.

“Os mineiros devem apoiar o Anastasia, pelo compromisso com Minas, porque tenho certeza que Minas vai crescer muito com Anastasia, melhorar mais ainda. Reconheço em Anastasia uma capacidade enorme para dar continuidade ao que já foi feito. Sou PMDB desde que iniciei na política, mas não podemos deixar o Estado em uma situação pior. Então queremos que o Estado cresça, por isso coloquei o Estado acima do meu partido. Não podemos deixar mudar, porque senão o Estado voltará a ter uma situação difícil”, afirmou.

O prefeito de Carrancas, Magno Orlando Ferreira de Carvalho (PSDB), afirmou que Aécio e Anastasia foram fundamentais para o desenvolvimento dos pequenos municípios.

“Não tem como não apoiar Anastasia. Aécio fez um grande governo e a gente sabe que Anastasia estava ao lado dele. Então acho que a continuidade hoje é muito importante para que Minas Gerais não pare. Ajudou demais os pequenos municípios”, disse.

O prefeito de Itutinga, Fabiano Ribeiro do Vale (PSDB), destacou os avanços obtidos no governo Aécio Neves e que devem ter continuidade com Anastasia à frente do Governo. “Precisamos continuar esse projeto iniciado com Aécio e Anastasia, para que Minas, que vem se destacando em vários setores, possa continuar nesse bom caminho”, afirmou.

O prefeito de Ritápolis, Antônio Ronato de Melo (DEM), afirmou que a reeleição de Anastasia e a eleição de Aécio e Itamar ao Senado serão importantes para o desenvolvimento de Minas. “Ele tem demonstrado que é possível administrar com seriedade mesmo em época de crise. Minas Gerais continua crescendo, com o crescimento maior que o do Brasil. Por esse motivo, Anastasia deve continuar à frente do Estado e com o Aécio e Itamar no Senado teremos uma Minas que vai dar exemplo a vários estados brasileiros”, afirmou.

Plano de Governo do governador Antonio Anastasia

Propostas e ações para preservação das cidades históricas mineiras

Período de 2011/2014

Criação do Programa Especial de Proteção do Patrimônio Histórico de Minas Gerais, voltado para segurança, revitalização do patrimônio:

• promover, juntamente com a Polícia Militar, uma polícia preventiva especializada na defesa do patrimônio histórico e cultural onde houver obras e bens vulneráveis à ação predatória;

• implantar, em parceria com o Corpo de Bombeiros, brigadas de incêndio nas cidades históricas;

• integrar a atuação da Polícia Militar com as guardas municipais nas cidades históricas. Onde elas não existirem, criar guarda municipal voltada para a defesa do patrimônio histórico;

• atuar em conjunto com a Promotoria Estadual de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico;

• buscar parceria com a administração municipal em projetos de revitalização de praças, coretos e outros bens públicos de uso comum, no sentido de viabilizar seu uso pela comunidade e turistas;

• atualizar o inventário do patrimônio cultural do Estado: reorganizar e sistematizar os registros, inventários e tombamentos, por meio dos quais estão catalogados os bens materiais e imateriais;

• promover mecanismos de comunicação e divulgação do patrimônio histórico e cultural sobretudo das cidades históricas, nos meios de comunicação de massa, antecipando a realização da Copa 2014;

• garantir a qualidade das estradas estaduais que dão acesso às cidades históricas e outras que compõem o circuito do patrimônio histórico e cultural no Estado; promover a viabilidade de transporte de qualidade para estas cidades, com ênfase no transporte de qualidade;

• buscar parcerias com os municípios e o setor empresarial para melhorar constantemente a infraestrutura hoteleira das cidades que dispõem de patrimônios históricos e culturais inventariados e qualificar e ampliar o setor hoteleiro nessas cidades;

• acondicionamento dos objetos de arte: viabilizar mecanismos de melhoria na qualidade de

acondicionamento e guarda dos objetos de arte, em especial, pinturas e gravuras das igrejas e museus históricos.

• programa Rede de Comunicação de Destinos, Produtos e Serviços – Marca e Imagem de Minas Gerais para 2014: criar uma política de comunicação para divulgação da marca e a imagem do turismo de Minas seja catalisadora e representante de todas as áreas econômicas;

• programa de Promoção e Apoio à Comercialização do turismo no mercado internacional de Minas Gerais: consolidar Minas como o melhor destino turístico do país, por meio da promoção e comunicação no mercado nacional e internacional;

• programa de Infraestrutura dos Destinos Indutores: definir projetos prioritários de estruturação dos destinos, considerando as dimensões de infraestrutura de transporte, aspectos ambientas e sociais como as políticas de enfrentamento e prevenção à exploração sexual infanto-juvenil;

• consolidar o espaço Minas Gerais em São Paulo como a casa do desenvolvimento do turismo de Minas no maior destino emissor de turistas e gerador de negócios do país;