• fevereiro 2017
    S T Q Q S S D
    « set    
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728  
  • Categoria

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Twitter Blog Aécio Neves

Aécio: PT é o partido da intervenção

Aécio: eleições 2012

Senador Aécio Neves: PT é o partido da intervenção

 Aécio: PT é o partido da intervenção

Aécio: senador diz que PT é o partido da intervenção

senador Aécio Neves afirmou que o PT virou o “partido da intervenção”.

Segundo o senador Aécio Neves, essa postura difere do nascimento do Partido dos Trabalhadores, que dizia respeitar a sua militância. Nas eleições municipais deste ano, o PT interveio e ignorou desejos ou decisões tomadas por sua base em dezenas de municípios, como São PauloBelo Horizonte e Recife.

“Salta aos olhos da gente, e isso divido com vocês, o caminho que o PT tem buscado ao longo dos últimos anos. O PT, que nasceu com uma proposta diferente, um partido das bases, que respeita as decisões dos seus membros, virou o partido da intervenção”, afirmou o senador Aécio Neves.

Aécio e o seu lance mais ousado

Aécio: eleições 2012

 Aécio e o seu lance mais ousado

Aécio: Eleições em Belo Horizonte

Fonte: artigo Merval Pereira – O Globo

Lance ousado

O rompimento da aliança com o PT em Belo Horizonte foi o lance mais ousado dos muitos que o senador Aécio Neves vem fazendo nos bastidores partidários nos últimos tempos, trabalho a que tem se dedicado em vez de aparecer para a opinião pública como o grande líder oposicionista, sob o risco de dar a sensação errônea de que está desinteressado do embate político.

Da mesma maneira que, durante o governo Fernando Henrique, o então deputado Aécio Neves montou sua candidatura costurando alianças nos bastidores para romper o acordo firmado com o então PFL, o hoje senador trabalha com o objetivo de criar condições políticas que permitam montar uma proposta de campanha ampla, que lhe dê respaldo para o combate aogoverno que pretende desencadear no momento que considere mais adequado.

Como costuma fazer, Aécio trabalha nos bastidores para montar uma grande aliança partidária que lhe respalde a candidatura à Presidência em 2014, jogando na divisão da base aliada em decorrência não apenas da deterioração da situação econômica, mas também dos desencontros de diversos partidos com o PT.

A jogada de Belo Horizonte, porém, pode dar errado caso se confirme o desgaste com o PSB, que se ressente da separação do PT, sobretudo porque o PMDB, em jogada oportunista, mas correta pragmaticamente, está se oferecendo para abrir mão de candidatura própria para apoiar o ex-ministro e ex-prefeito de Belo Horizonte Patrus Ananias, que será o candidato petista. O PMDB viu no episódio oportunidade para demonstrar lealdade ao governo, alegando a condição de parceiro preferencial no plano nacional.

Da mesma maneira que o PSB alegou que, em São Paulo, está apoiando o candidato de Lula pela relevância do principal objetivo do PT, tomar conta de uma prefeitura que há anos está dominada pelos tucanos e seus aliados, como trampolim para vencer o governo do estado de São Paulo em 2014.

Os dois partidos, PMDB e PSB, disputam no interior da aliança governista a vice-presidência na provável chapa de reeleição da presidente Dilma Rousseff.

A eleição em Belo Horizonte acaba assim tendo uma relevância própria, transformando-se em uma simbolização da força política de Aécio Neves tendo em vista as eleições de 2014, assim como a de São Paulo significa a maior jogada do ex-presidente Lula para consolidar a hegemonia petista no país.

Derrota de Aécio em Belo Horizonte, assim como de Lula em São Paulo, terá reflexos na formação das alianças partidárias mais adiante.

As eleições municipais têm um peso local muito acentuado, mas, em determinadas cidades e capitais, elas dão pistas sobre como evoluirão as tratativas a nível nacional. Além do mais, os partidos tentam se cacifar na disputa municipal para que suas ramificações políticas municipais ganhem valor no mercado nacional de alianças.

Por isso mesmo, o racha do PSB com o PT em Belo Horizonte, mais do que os de Fortaleza e Recife, está sendo visto pelo comando nacional petista como sinalização de que o governador Eduardo Campos está se movendo para uma distância segura do PT.

Como nem tudo é coerente quando se trata de aliança partidária, e menos ainda quando Ciro Gomes está envolvido, a disputa em Minas difere da de Fortaleza, por exemplo. O líder do PSB no Ceará é, em tese, favorável a que o PSB marque sua posição se distanciando do PT e, especificamente em Fortaleza, defendeu essa posição junto ao irmão, o governador Cid Gomes.

Mas, em Belo Horizonte, onde o prefeito, Marcio Lacerda, candidato à reeleição, mais que seu correligionário, é um seu protegido político, Ciro está crítico em relação à atuação de Aécio Neves, a quem atribui a criação de um ambiente que levou ao rompimento com o PT.

Ciro criticou também a direção nacional do PT por ter apoiado a indicação de Patrus Ananias, em vez de intervir na regional mineira para garantir a permanência do partido na aliança em Belo Horizonte.

Como se vê, joga-se neste pleito municipal um xadrez político que tem tudo a ver com a eleição de 2014. Por parte da oposição, vencer em São Paulo e Belo Horizonte é fundamental para manter as poucas cidadelas ainda não dominadas pelo PT, que se dedica, por sua vez, a tentar fragilizar esses redutos tucanos.

O governo terá tarefa difícil pela frente, manter unida a ampla base partidária que o apoia, enquanto o PSDB joga com a expectativa de que os atritos com o PT e a situação econômica deteriorada farão com que parte dessa base se una ao projeto político de Aécio. Caso o PMDB seja alijado do posto de parceiro preferencial do PT, a aposta é que venha a apoiar a candidatura tucana, formando grande bloco com DEM, PPS, e, se não o apoio integral, pelo menos o de partes de PR, PP e PDT. Há inclusive quem imagine a união de todas essas siglas sob o guarda-chuva de novo partido, que também poderia abrigar políticos individualmente.

Com a decisão do STF de dar tempo de propaganda gratuita e participação no fundo partidário a partidos formados com base na nova legislação, proporcional à votação de seus fundadores, ficaria mais fácil atrair na base aliada adeptos do projeto tucano com Aécio para presidente em 2014. Difícil é imaginar que PMDB e PSDB abram mão de suas respectivas siglas para a formação de novo partido.

Com ou sem partido novo, porém, o fato é que o candidato natural do PSDB à Presidência da República em 2014 está costurando nos bastidores diversas alianças políticas para viabilizar sua candidatura, confiante em que a aliança da base aliada não resistirá às dificuldades de convivência interna nem à crise econômica que tende a se agravar.

Aécio recebe em Brasília deputados estaduais na pauta do encontro redução do pagamento das dívidas dos estados

Aécio: dívida dos estados

Fonte: Assessoria de imprensa do senador Aécio Neves

Aécio Neves reafirma apoio à renegociação da dívida dos estados com a União

“Renegociar a dívida dos estados é fazer justiça, permitir que os estados readquiram a capacidade de investir em saúde e educação”, diz Aécio

 Aécio: apoio à correção da dívidas dos estados

Aécio recebe em Brasília deputados estaduais na pauta do encontro redução do pagamento das dívidas dos estados.

senador Aécio Neves (PSDB-MG) garantiu seu apoio à mobilização de deputados estaduais de todo o país em favor de mudanças nas regras atuais de cobrança das dívidas dos Estados pelo governo federal. O senador reuniu-se ontem (04/07), em Brasília, com deputados estaduais de todo o País. Entre eles, o presidente da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), deputado Joares Ponticelli (PP/SC), e os presidentes da Assembleia Legislativas de Minas Gerais, deputado Dinis Pinheiro (PSDB), e do Rio Grande do Sul, Alexandre Postal (PMDB).

Aécio Neves é autor do projeto de lei que muda o atual indexador usado pelo governo federal para correção das dívidas dos estados e limita em 2% ao ano os juros cobrados pela União. Atualmente, o indexador utilizado obrigatoriamente é o IGP-DI, acrescido de juros que variam entre 6% e 7,5%.

O senador lembrou que a realidade atual é distinta da época em que os contratos com a União foram firmados e destacou que estados e municípios têm arcado cada vez mais com os gastos em saúdeeducação e infraestrutura, em contraponto com a crescente concentração de recursos no governo federal.

“Essa é a causa da Federação. O Brasil caminha a passos largos para se transformar em um estado unitário. Estamos vivendo hoje a mais perversa concentração de receitas nas mãos da União de toda a história republicana do Brasil. Portanto, renegociar a dívida dos estados é fazer justiça, permitir que os estados readquiram a capacidade de investir em saúdeeducação,segurança públicainfraestrutura. Na verdade, a União se transformou em agiota dos estados, já que ela, através do BNDES, empresta ao setor privado a juros muito mais baratos do que ela cobra dos estados. A realidade de hoje é muito diferente daquela em que as dívidas foram renegociadas e temos que colocar um freio nessa sanha arrecadadora do governo federal”, afirmou Aécio.

O senador afirmou que o a renegociação das dívidas pode ser votada pelo Congresso no início do 2º semestre. Aécio Neves revelou preocupação com o baixo nível de investimentos feitos nos estados atualmente, em especial em áreas como saúde educação e infraestrutura.

“Várias propostas aqui tramitam e queremos buscar uma que atenda os estados do ponto de vista dos investimentos, até, quem sabe, fazendo com que parte desses recursos que sejam pagos à União em investimentos acertados com a própria União. Na área da saúde, por exemplo, na área de infraestrutura ou da educação. Essa movimentação das assembleias é muito saudável, muito bem vinda e acho que o tema está maduro para, quem sabe, no início do segundo semestre, do mês de agosto, possamos tê-los já em debate e sendo votado pelo Congresso Nacional”, afirmou o senador Aécio.

Proposta

senador Aécio Neves apresentou, em abril deste ano, projeto de lei estabelecendo que o indexador a ser utilizado no reajuste das dívidas poderá ser o IPCA ou o IGP-DI, sendo sempre escolhido o menor, ou seja, mais favorável aos estados.

Aécio Neves também propõe limitar o comprometimento da receita dos estados em até 9%, contra valores que, atualmente, variam entre 11,5% e 15%, dependendo da unidade federativa.

Por que a mudança?

O IGP-DI era o indexador mais vantajoso para os estados em 1997, ano em que foram firmados os contratos das dívidas, mas tornou-se nocivo ao longo dos anos, inviabilizando os investimentos executados pelos estados em saúde, educação, segurança, saneamento e infraestrutura, além de outras áreas.

Minas Gerais, por exemplo, devia R$ 15 bilhões em 1998. Desde então, foram pagos R$ 21,5 bilhões. Mesmo assim, o estado deve R$ 59 bilhões, ainda que nenhuma outra dívida tenha sido contraída desde então. Já o estado de Santa Catarina desembolsou R$ 1,5 bilhão para o pagamento da dívida apenas em 2011, restando R$ 1 bilhão para a realização de investimentos.

Aécio: dívida dos estados – Link da matéria: http://www.aecioneves.net.br/sala-de-imprensa/

PT confirma rompimento e lança Patrus em BH

PT: Eleições 2012

 PT confirma rompimento e lança Patrus em BH

Fonte:   Vandson Lima, Raphael Di Cunto e Marcos de Moura e Souza  – Valor Econômico

PT indica Patrus Ananias para disputa em BH

executiva nacional do PT aprovou ontem o rompimento da aliança com o atual prefeito de Belo Horizonte (MG), Marcio Lacerda (PSB), que concorrerá à reeleição, e indicou o ex-ministro do Desenvolvimento Social Patrus Ananias como candidato da sigla à sucessão na capital mineira.

A confirmação da candidatura depende apenas de uma conversa marcada para hoje, em São Paulo, entre o presidente petista, Rui Falcão, e o vice-prefeito da cidade, Roberto Carvalho. Rompido com Lacerda e defensor de longa data da candidatura própria, Carvalho chegou a registrar sua candidatura à prefeitura no Tribunal Regional Eleitoral local. O partido quer arrumar uma saída honrosa para Carvalho, já que, conforme reconheceu Rui Falcão, “ele sempre defendeu a candidatura própria e nos avisou que Lacerda poderia nos surpreender”.

O PT, que tinha inclusive indicado o vice da chapa que será encabeçada por Lacerda, resolveu romper a aliança após saber que o PSB decidiu não fazer coligação na chapa para vereadores, conforme havia prometido. “O rompimento partiu do Marcio Lacerda. Havia um acordo escrito, tenho a carta em mãos. Foi uma atitude, conforme ele [Lacerda] disse à imprensa local, tomada a pedido do senador Aécio Neves e do governador Antônio Anastasia [ambos do PSDB]“, afirmou Rui Falcão.

PSDB e PT, adversários no plano nacional, ajudaram a eleger Lacerda em 2008 e participam de seu governo. Os tucanos serão agora os principais aliados de Lacerda em sua tentativa de reeleição.

PT e PSB dominam a política local e se revezam no comando da cidade desde 1993. Estiveram na mesma chapa três vezes e concorrerão separados pela terceira vez este ano, mas sempre compuseram o governo um do outro.

O deputado federal Miguel Corrêa Júnior (PT-MG) avisou que o PT entregará todos os cargos que detém no governo de Belo Horizonte. O partido tem a vice-prefeitura, sete secretarias, além de cargos de primeiro escalão em empresas públicas e autarquias. O número de cargos comissionados seria em torno de 900.

Antes indicado a vice de Lacerda, o deputado disse que a vaga será usada para tentar convencer algum partido aliado do PT no plano federal a aderir à chapa. “O PMDB, se somado ao PT, faria um belo arco de alianças para enfrentar essa disputa eleitoral com quem rompeu seu compromisso com a cidade e com a gente”, avaliou.

A costura estaria sendo tratada pelas cúpulas dos dois partidos, já que o PMDB lançou o deputado federal Leonardo Quintão como candidato a prefeito. “Assim como se criou um quadro novo a partir do rompimento com o prefeito Marcio Lacerda, essa movimentação toda pode criar uma nova realidade em Belo Horizonte. É o que estamos buscando”, afirmou Rui Falcão. Questionado, Quintão disse ontem que estava “lutando em Brasília pela sua candidatura”.

O presidente do PT procurou desvencilhar a celeuma em Belo Horizonte dos recentes rompimentos entre PT e PSB em outras capitais, como Fortaleza (CE) e Recife (PE), onde os partidos concorrerão com candidaturas em separado. Também disse não ver qualquer articulação do presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, para se distanciar dos petistas com vistas a alçar voo próprio na eleição presidencial de 2014. “Não vejo nenhuma intenção do governador Eduardo Campos em precipitar a sucessão de 2014. Até porque ele tem dito que estará com a presidente Dilma [Rousseff]“, afirmou.

Pouco depois do anúncio do PT que indicou a candidatura de Patrus, Aécio e Eduardo Campos conversaram por telefone sobre o novo quadro da disputa na cidade. Campos, segundo apurou o Valor, assegurou ao senador que não haverá nenhum movimento do PSB para tentar convencer os petistas a voltarem atrás e apoiarem a reeleição de Lacerda. Desde o fim de semana, tanto no PT quanto no PSB havia especulações de que o próprio Campos ou a executiva nacional do PSB – que se reúne hoje – atenderia o pedido do PT para manter a aliança. O rompimento deixa Lacerda sozinho com os tucanos.

Aécio vai estar na linha de frente da campanha”, disse o deputado federal Marcus Pestanapresidente do PSDB de Minas Gerais. “Já estávamos comprometidos no apoio ao Marcio [Lacerda]. Agora, estamos mais revigorados”, disse. Pestana lembra que Aécio é, segundo pesquisa recente, a liderança política que mais influencia o voto dos eleitores de Belo Horizonte.

Patrus foi vereador de Belo Horizonte nos anos 80, elegeu-se prefeito em 1992 e, em 2002, conquistou o mandato de deputado federal. Dois anos depois assumiu o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome no governo Lula. É professor na Faculdade de Direito da PUC-Minas e preside o Conselho de Responsabilidade Social (Consocial) da Fiesp.

PT: Eleições 2012 – Link da matéria: http://www.valor.com.br/eleicoes2012/2737572/pt-indica-patrus-ananias-para-disputa-em-bh

Aécio: homenagem a Nelson Freire

Aécio: homenagem a Nelson Freire

Fonte: Assessoria de Imprensa do senador Aécio Neves

Senador Aécio Neves participa de homenagem a Nelson Freire

 Aécio: senador participa de homenagem a pianista

Aécio e Anastasia homenageiam o pianista Nelson Freire

Pianista apresentou-se no mesmo palco onde estreou aos seis anos de idade, em São João del Rei

senador Aécio Neves assistiu, na noite desse sábado (30/06), no Teatro Municipal de São João del Rei, concerto comemorativo dos 60 anos de Nelson Freire, considerado atualmente pela crítica internacional como um dos maiores pianistas do mundo. No mesmo palco, Freire se apresentou em público pela primeira vez, na década de 50, quando tinha seis anos. Mineiro de Boa Esperança, Nelson viveu parte de sua infância em São João del Rei, onde iniciou sua carreira.

“Tivemos o privilégio de assistir hoje o reencontro de Nelson Freire com a sua própria história, com o início de sua trajetória.  Foi aqui, neste mesmo teatro, que ele há muito tempo mostrou que poderia ser o que é hoje: o maior pianista do Brasil e um dos maiores do mundo”, afirmou o senador Aécio Neves que, ao lado do governador Antonio Anastasia entregou um diploma comemorativo da data ao pianista e descerrou placa no hall do teatro marcando o evento.

O recital foi promovido pelo projeto Música no Museu, fundado e dirigido por Sérgio Costa e Silva, e que completa 15 anos em 2012.

Aécio Neves: pianista Nelson Freire – Link da matéria: http://www.aecioneves.net.br/destaques

Aécio: senador participa das convenções do PSDB

Aécio Neves participa de convenções  tucanas na RMBH

“Hoje inicia-se uma cruzada da ética e da seriedade, do planejamento e da competência, diz Aécio

 Aécio: senador participa das convenções do PSDB

Aécio Neves: Eleições 2012 – senador participa das convenção do PSDB em Betim

senador Aécio Neves (PSDB-MG) participou, neste sábado (30/06), das convenções do PSDB em Betim, Contagem e Ribeirão das Neves, municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte, que homologaram as candidaturas a prefeito do deputado federal Carlaile Pedrosa e dos ex-deputados estaduais Ademir Lucas e Gláucia Brandão, respectivamente.

Recepcionado pela militância e por lideranças tucanas, Aécio Neves ressaltou que competência e seriedade são marcas do PSDB desde a sua fundação, e considerou as convenções municipais um novo marco para uma ampla mobilização em favor da ética.

“Hoje inicia-se uma cruzada da ética e seriedade, do planejamento e da competência. Características indissociáveis do PSDB e seus candidatos. Construímos há mais de 20 anos um partido político que tinha princípios absolutamente claros, que os diferenciava de muitos outros. Dizíamos sempre que era fundamental que a ética e os nossos melhores valores conduzissem as nossas ações. Depois comprovamos quando governamos, não apenas em Minas, mas em inúmeros outros estados brasileiros e em dois mandatos no Brasil, com Fernando Henrique, que a competência e a seriedade são irmãs e devem ser sempre as marcas mais fortes do PSDB”, disse o senador Aécio.

ex-governador de Minas convocou lideranças e filiados do PSDB a trabalharem pela eleição dos candidatos da legenda em todo Estado. O senador disse que a política deve ser feita com solidariedade, seriedade e compromisso com os interesses da população.

“Ninguém consegue fazer política solitariamente. A política é a arte da união, da convergência, em torno de questões maiores, dos interesses reais da população que nós representamos. Hoje, estamos aqui inúmeros companheiros e convoco a todos porque queremos Minas unida, queremos seriedade e competência”, afirmou o senador Aécio.

Aécio e Anastasia convocam militância do PSDB

Lideranças tucanas convocam militância para  grande vitória nas eleições municipais em Minas

 Aécio e Anastasia convocam militância do PSDB

Aécio e Anastasia convocam militância do PSDB

Aécio: Eleições 2012 – As principais lideranças do PSDB de Minas Gerais participaram, neste sábado (30/06), das convenções municipais de Betim, Contagem, Ribeirão das Neves Belo Horizonte. O governador Antonio Anastasia, o senador Aécio Neves e o presidente do PSDB-MG, deputado federal Marcus Pestana, além de deputados federais e estaduais, convocaram a militância tucana a arregaçar as mangas para eleger os candidatos tucanos nas eleições de outubro.

O senador Aécio Neves afirmou que o PSDB e seus aliados podem sair vitoriosos em até 90% dos municípios mineiros, segundo ele, em razão da confiança da população mineira no seu governo e na gestão de Antonio Anastasia.

“A minha convicção é que, a partir das alianças que estão sendo feitas, inclusive essas que hoje participamos em Betim, Contagem, Ribeirão das Neves, a nossa base aliada, o PSDB somado aos partidos aliados, tem condições de vencer entre 85% e 90% de todas as prefeituras de Minas. Isso nos dá uma posição de muita força. Na verdade, é uma demonstração da confiança que a população mineira vem tendo em nosso projeto de governo. Estou muito feliz e convencido que o PSDB vai aumentar, em muito, o número de prefeituras que já administra hoje. O PSDB é o maior partido do Estado, é o que tem a maior bancada, o maior número de prefeitos, de vice-prefeitos, o governador do Estado, um dos senadores e uma perspectiva muito grande de sair dessa eleição em Minas extremamente vitorioso”, afirmou o senador Aécio Neves.

Aécio NevesAntonio Anastasia e Marcus Pestana empolgaram os militantes tucanos nas convenções por onde passaram. Em Betim, onde foi homologada a candidatura do deputado federal Carlaile Pedrosa, centenas de pessoas receberam Aécio e Anastasia com muitos aplausos. A coligação em Betim é formada pelo PSDB, PTB, PV, PPS, PMN, PP, PSDC, DEM, PHS, PR, PTN, PRTB, PSB.

“Vim pedir uma vitória esmagadora, como a que tivemos aqui dois anos atrás. Betim está com saudade de ter saúde de qualidade, da boa educação para nossos jovens, de segurança. Mas temos um remédio para isso: a vitória do PSDB, a vitória de Carlaile”, disse o governador Anastasia.

O deputado federal Carlaile Pedrosa, pré-candidato em Betim, afirmou que vai levar uma mensagem de mudança, para que o município possa novamente retomar o ciclo de crescimento e de desenvolvimento nas áreas de saúde, segurança e educação.

“Betim precisa lutar contra o caos na saúde, segurança e educação que ocorreu aqui nos últimos anos. Temos que reativar as parcerias com o governo estadual que tanto nos ajudaram a desenvolver quando estávamos na prefeitura. Parceria que tivemos com Aécio e Anastasia. Vamos para a rua, de casa em casa, de cidadão a cidadão, levar a mensagem da mudança, da vitória do PSDB que será a vitória de Betim”, disse Carlaile.

Mais avanços para Contagem

Em Contagem, as lideranças tucanas foram recebidas com festa pelos militantes na Câmara dos Vereadores. Aécio e Anastasia destacaram as parcerias do Governo de Minas com ex-prefeito e pré-candidato às eleições deste ano, Ademir Lucas. Em Contagem, participam da coligação PSDB, PP, DEM e PTB.

“Não perdemos a capacidade de nos indignarmos frente à incompetência e à desatenção para aqueles que mais precisam da ação do Estado. E  não perdemos a capacidade de nos unirmos quando o que está em jogo é o futuro, o destino da nossa gente”, disse Aécio Neves.

governador Anastasia lembrou que o município precisa avançar com mais empregos e melhorias na área de educação e infraestrutura.

“Contagem precisar avançar, mudar. Precisa de mais empregos, melhor educação, vias asfaltadas. Sabemos que Contagem está com saudade do Ademir. Fui testemunha do grande trabalho que foi aqui feito.”

O pré-candidato de Contagem, Ademir Lucas, afirmou que as parcerias devem continuar para garantir mais desenvolvimento para Contagem.

“Com Aécio, tivemos R$ 136 milhões para a canalização dos córregos, a avenida sanitária, as obras da avenida Tereza Cristina, ligando Contagem ao Barreiro, o 39º Batalhão de Polícia Militar. E essas obras precisam continuar”, afirmou.

Mais parceria com o Governo de Minas

Em Ribeirão das Neves, o governador Anastasia e o senador Aécio Neves acompanharam a oficialização da candidatura da ex-deputada Gláucia Brandão que concorrerá pelo PSDB na coligação formada com o PP, PHS, PTN, PMN, PSDC, PSC, PRP, PDT, PTB, PSL, PV, PR, PMDB, PTC.

Em seu discurso, Gláucia Brandão destacou a importância em dar continuidade à parceria com o Governo de Minas para atrair mais desenvolvimento para o município.

“O Governo do Estado tem demonstrado compromisso com Neves. O Poupança Jovem, os recursos para a UPA do bairro Veneza e para o Hospital São Judas são exemplos disso. Tenho certeza que contaremos com cada vez mais empresas sendo atraídas para o município, gerando empregos para nossos jovens”, disse a pré-candidata.

Anastasia afirmou que Gláucia Brandão governará com pulso forte o município. “Neves precisa de um prefeito que trabalhe com honestidade, sensibilidade e dedicação. Gláucia tem todas as características. Nosso governo tem cumprido seus compromissos com o municípios. Vamos concluir a LMG 806. Trouxemos uma empresa que investirá R$ 1 bilhão para produzir semicondutores. E Gláucia vai atrair muitas outras, para garantir mais empregos e desenvolvimento”, disse Anastasia.

Para Aécio, Gláucia Brandão fortalecerá as parcerias do município com o Governo do Estado. “A eleição de Gláucia vai fortalecer os laços do município com o Governo do Estado. Hoje se inicia uma cruzada da ética e seriedade, do planejamento e competência. Característica indissociável do PSDB e seus candidatos”, disse o senador.